Dead Kennedys e Krisiun tocam na noite mais pesada do Abril Pro Rock

Por Susan Souza , enviada especial ao Recife |

compartilhe

Tamanho do texto

10 bandas de punk a hardcore fecharam o sábado (20) com público de 8 mil pessoas

Rodas de pogo, instrumentos amplificados em altíssimo volume e discursos politizados fizeram parte do segundo e último dia do Abril Pro Rock 2013, que aconteceu neste sábado (20), em Olinda. Segundo a organização do festival pernambucano, foram vendidos 8 mil ingressos para a segunda noite, mais do que o dobro dos ingressos da sexta-feira (19).

O encerramento do festival contou com uma escalação bem menos pop em relação ao primeiro dia. Na pista, a plateia do sábado não exitou em se uniformizar com camisetas de suas bandas favoritas para acompanhar os shows de hardcore, punk e trash metal. Os destaques foram os gaúchos do Krisiun e os norte-americanos do Dead Kennedys.

Krisiun no Abril Pro Rock 2013. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioSodom. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioDead Kennedys. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioFang. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioDFC. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioAndre Matos. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioDevotos. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioKataphero. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioKriver. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioVocífera. Foto: Rafael Passos/Agencia Pavio

O grupo Dead Kennedys, em atividade desde 1978, representa parte da sobrevivência do hardcore-punk na atualidade, ainda que o vocalista Ron "Skip" Greer sentencie durante o show que "o punk rock está morto". Skip, que ocupa o antigo posto de Jello Biafra, segurou uma performance agitada, jogando-se no chão e abraçando efusivamente o público da primeira fila. O setlist passou por singles como "Kill the Poor", "Holiday in Cambodia" e o tema clássico do grupo, "California Über Alles".

Vindos do Rio Grande do Sul, o trio de metal Krisiun foi a única banda ovacionada mais de uma vez pela plateia. "Aqui é metal nacional, car****!", disse com empolgação o vocalista e baixista Alex Camargo. Muito pedal duplo na bateria e escalas complexas na guitarra e no baixo caracterizam o som deles. "Falam que o metal nacional está morto, mas nós estamos aqui para provar o contrário", disse antes de tocar sons mais antigos como "Vengeances Revelation".

Punk, hardcore e metal

As bandas pernambucanas Vocífera, formada só por meninas, e Kriver abriram o evento já anunciando que se tratava de um dia de peso. Em seguida, o Kataphero, do Rio Grande do Norte, entrou com seu rock pesado, vocal gutural e figurinos que combinariam com guerreiros da Idade Média.

A primeira atração internacional foi o Fang, dos Estados Unidos, formado em 1981 e reformulado em 1995 após o vocalista Sam 'Sammytown' McBride sair da prisão. Animado, ele soltou vários "olás" para interagir com a plateia, além de mostrar que aprendeu alguns palavrões. No setlist, músicas como "You're Cracked", "Curbstomp" e "Here Come the Cops".

Conhecidos do público que gosta de hardcore, o DFC levantou um discurso politizado e tocou músicas de seus 20 anos em atividade, como "Petróleo Maldito" e "Respeito é bom e conserva os dentes". "Viemos da fétida cidade de Brasília, cheia de políticos. A verdade é que eles te odeiam", disse o vocalista aos berros em uma de suas pausas para a crítica.

Igualmente veteranos com mais de 20 anos de carreira, o grupo pernambucano Devotos fez um setlist privilegiado de 23 músicas. A voz de Cannibal continua afiada e prova o porquê do grupo ser respeitado no Recife e fora. Música como "Alien" e "Devotos do Ódio" fizeram parte do show.

Os alemães do Sodom trouxeram seu thrash metal dos anos 1980 ao APR, subgênero pelo qual são considerados precursores. Músicas do novo disco estiveram no setlist, como "Epitome of Torture", além de singles antigos como "Remember the Fallen", do disco "Agent Orange (1989).

O encerramento da edição 2013 do APR ficou por por conta do paulistano Andre Matos, que aproveitou para mostrar músicas do disco novo e comemorar também seus 20 anos de carreira. Esta foi a primeira apresentação de Andre com seu projeto solo no APR. No setlist, músicas da carreira com o Angra, como "Carry On" e "Streets of Tomorrow". Um dos pontos altos foi "Farry Tale", que chegou a ser trilha sonora da novela global "O Beijo do Vampiro", e acabou sendo cantada em grande parte pelos fãs.

* A repórter viajou a convite do Abril Pro Rock

Leia tudo sobre: Abril Pro RockfestivalmúsicaDead KennedysKrisiunmetal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas