Television, Marcelo Jeneci, Móveis e Silva se destacam no Abril Pro Rock

Por Susan Souza , enviada especial ao Recife | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Festival pernambucano continua neste sábado (20) com shows do Dead Kennedys e Sodom

Dedicado a divulgar bandas nacionais e anualmente incrementado pela presença de nomes estrangeiros, a 21ª edição do Abril Pro Rock começou nesta sexta-feira (19) em Olinda, Pernambuco. Com 18 bandas em dois dias de programação, a primeira noite teve como destaque os grupos Television (Estados Unidos), Marcelo Jeneci (São Paulo), Silva (Espírito Santo) e Móveis Coloniais de Acaju (Brasília), grupo que fechou a noite. Segundo a organização, 3500 pessoas estiveram presentes na primeira noite e ainda há ingressos para os shows de sábado (20).

A estrutura dos dois palcos dispostos lado a lado funcionou bem. Quando um show acabava, o outro começava em menos de cinco minutos, o que contribuiu para que a plateia que chegava ao Chevrolet Hall não se dispersasse. Uma forte chuva no começo da noite alagou algumas ruas da cidade, o que atrasou um pouco a chegada do público. Às 21h, o grupo pernambucano Tagore abriu o evento com um som que mistura batidas regionais e rock.

Tom Verlaine, líder e fundador do Television. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioTelevision, destaque internacional da primeira noite de shows. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioMóveis Coloniais de Acaju fecha o primeiro dia de Abril Pro Rock. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioMarcelo Jeneci. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioSilva fez o show mais intimista da noite. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioO pernambucano Siba. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioVolver, banda pernambucana que completa 10 anos de carreira. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioBabi Jaques e os Sicilianos. Foto: Rafael Passos/Agencia PavioTagore abriu a primeira noite de APR 2013. Foto: Rafael Passos/Agencia Pavio

Experiência desde 1973

Os norte-americanos do Television agregaram uma plateia pequena, porém disposta, à frente do palco. O vocalista e guitarrista Tom Verlaine parecia não se acertar muito com a afinação do instrumento, mas nada que transparecesse atrapalhar. As partes instrumentais continuam boas com o tempo e indicam uma das características mais fortes desta banda emblemática de punk dos anos 70. Sem falar com a plateia - nem mesmo quando uma pessoa jogou uma latinha em direção ao palco, o grupo tocou por uma hora e chegou ao ápice com o aguardado hit "Marquee Moon".

Jeneci e a Nova MPB

O paulistano Marcelo Jeneci foi uma das atrações mais esperadas e cujo show ganhou coro de vozes e empolgação. Animado e de olhos pintados com sombra verde e delineador - lembrando um pouco Ney Matogrosso, ele trabalhou as músicas do disco "Feito Para Acabar", de 2010. Uma das faixas mais bem recebidas foi "Felicidade", que teve seu clipe gravado em Pernambuco. Complementado pela vocalista Laura Lavieri, o músico se revezou entre a sanfona, o piano e a guitarra.

A big band roqueira do "Móveis"

Com estilo de big band do rock - são 10 integrantes no palco -, o Móveis Coloniais de Acaju fechou a primeira noite de APR com show enérgico. Com sua conhecida mistura ska, pop e rock alternativo, tocaram até perto das 4h da manhã. No setlist, músicas já conhecidas como "O Tempo", "Indiferença" e novidades do próximo disco "De lá até aqui" - ainda sem lançamento marcado, como "Beijo Seu" e "Sede de Chuva", que abriu o show. Para encerrar, tocaram "Copacabana", do trabalho de estreia do grupo.

Outras atrações

O capixaba Silva trouxe uma certa meiguice ao palco do festival e foi um dos destaques da noite. Acompanhado de um baterista e de programações eletrônicas, o cantor e tecladista apresentou as músicas do disco "Claridão", de 2012. Sorridente e muito afinado, Silva trouxe um som intimista que parece fazer uma mistura interessante de Passion Pit e Hot Chip com Roupa Nova e Guilherme Arantes. Músicas como "Cansei" e "Imergir", além da faixa que dá nome ao disco, fizeram parte do setlist.

Babi Jaques e os Sicilianos, banda do Recife, trouxe seu cabaré para o palco do Abril Pro Rock. Em meio à proposta de caracterizar a "mafia" - com direito a chapéu, gravata e cachimbo, o show mistura encenações do integrantes entre as músicas. Pop, blues e um pouco de frevo estão na sonoridade de "Cosa Nostra", disco que ainda será lançado.

Com 10 anos de estrada, os pernambucanos Volver, que atualmente moram em São Paulo, mostraram que são respeitados na cena local e aglomeraram fãs na frente do palco. Eles trabalharam as faixas do disco mais recente, "Próxima Estação", de 2012, durante a quarta passagem pelo Abril Pro Rock, em riffs que lembram de jovem guarda a Franz Ferdinand, sem puxar para timbres regionais.

O pernambucano Siba não toca mais a rabeca com a banda Mestre Ambrósio, mas dedilha sua guitarra e relembra e lamenta os tempos em que Olinda "tinha praias limpas e que hoje, para vê-las, você tem que viajar longe", contou durante o show. A apresentação do APR mostrou um artista em sua maturidade que conta até mesmo com uma tuba nos instrumentos de apoio. O show focou no disco "Avante", de 2012, e teve faixas como "A Bagaceira" e "Canoa Furada".

Sábado de peso

Neste segundo dia de Abril Pro Rock, sábado (20), os grupos Krisiun, Andre Matos, Sodom e Dead Kennedys trazem peso para o festival. Nomes locais como Devotos e Kriver complementam a noite. Confira a escalação completa:

Dead Kennedys (EUA)
Sodom (Alemanha)
Devotos (Pernambuco)
Krisiun (Rio Grande do Sul)
DFC (Distrito Federal)
Fang (Estados Unidos)
Andre Matos (São Paulo)
Kataphero (Rio Grande do Norte)
Kriver (Pernambuco)
Vocífera (Pernambuco)

Neste sábado, os portões abrem às 18h. Ainda há ingressos à venda na bilheteria do Chevrolet Hall (Av. Agamenon Magalhães, Complexo de Salgadinho, s/n, Olinda) por R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) ou por R$ 40 ao levar 1kg de alimento não perecível.

* A repórter Susan Souza viaja a convite do Abril Pro Rock

Leia tudo sobre: Abril Pro RockfestivalPernambucomúsica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas