Cantor teve overdose de cocaína e foi encontrado morto em 6 de março; relembre sua trajetória e veja imagens

O cantor Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr. e encontrado morto há pouco mais de um mês, completaria 43 anos nesta terça-feira (9). Alexandre Magno Abrão morreu de overdose de cocaína , de acordo com laudo oficial divulgado na semana passada.

Leia Também : Laudo comprova que Chorão morreu por overdose de cocaína

Para marcar a data, a apresentadora Sônia Abrão, prima do cantor, colocou no Instagram uma foto do artista, ainda criança, com a mãe. "Esse bebê lindo,no colo da mãe, de nome Alexandre Magno Abrão, viraria um ídolo chamado CHORÃO. E hoje estaria completando 43 anos de idade! Não deu pra ele ficar pra festa!!!", lamentou.

Leia todas as notícias sobre a morte de Chorão

Conhecido como "Chorão" desde jovem, Alexandre nasceu em São Paulo e mudou para Santos aos 17 anos. Ganhou o apelido porque ficava assistindo garotos mais velhos andando de skate - um deles disse para que ele não chorasse.

Sônia Abrão homenageia Chorão com uma foto do vocalista ainda bebê
Reprodução/Instagram
Sônia Abrão homenageia Chorão com uma foto do vocalista ainda bebê

Foi em Santos que se tornou vocalista do Charlie Brown Jr. Criada em 1992, a banda lançou nove discos de estúdio e teve diversas formações - Chorão foi o único a integrar todas elas.

O sucesso veio em 1997, com o lançamento do álbum "Transpiração Contínua Prolongada". Canções como "Proibida Pra Mim (Grazon)", "Tudo o que ela Gosta de Escutar", "Gimme o Anel" e "O Coro Vai Comê!" caíram no gosto do público, principalmente o jovem, e fizeram com que o disco vendesse mais de 500 mil cópias.

Outros hits da banda são "Te Levar", "Zóio de Lula", "Rubão", "Hoje eu Acordei Feliz", "Lugar ao Sol", "Papo Reto (Prazer é Sexo, o Resto é Negócio)", "Não é Sério", "Só Por Uma Noite", entre outras.

Leia TambémRelembre as polêmicas que marcaram a carreira de Chorão

A trajetória da banda foi marcada por disputas e brigas entre os integrantes. A mais grave ocorreu em 2005, quando Marcão, Renato, Pelado e Champignon deixaram o grupo alegando divergências musicais. Chorão seguiu em frente com uma nova formação, convocando também Thiago Castanho, que participara dos primeiros álbums.

Em 2004, com o disco “Tâmo aí na Atividade”, o grupo foi premiado com o Grammy Latino. Chorão também era o compositor das letras e adorava andar de skate. Ele ainda chegou a trabalhar como roteirista do filme “O Magnata”, de 2007, e atualmente trabalhava no longa-metragem “O Cobrador”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.