Cena punk é tema de exposição gratuita que começa nesta terça em São Paulo

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Fotógrafo uruguaio Martin Sorrondeguy registrou manifestações do gênero em vários países

Nesta terça-feira (9), a exposição fotográfica “Get Shot”, que faz uma retrospectiva sobre o movimento punk, chega à Matilha Cultural, em São Paulo. A mostra tem 100 imagens feitas pelo fotógrafo uruguaio Martin Sorrondeguy, que acompanhou de perto o movimento em Chicago, nos Estados Unidos, e em suas viagens pelo mundo, inclusive no Brasil. Integrante da banda de hardcore Los Crudos, foi a partir das turnês com o grupo que ele intensificou o trabalho da fotografia de show, ao registrar apresentações de outras bandas do universo punk desde o começo dos anos 1990.

Martin começou seu relacionamento com a fotografia a partir do incentivo que recebeu dentro de casa. “Minha família me deu uma câmera no final dos anos 1980 e eu comecei a tirar fotos do punk e de amigos que faziam parte dessa cena”, explicou o artista em entrevista ao iG. Nascido em Montevidéu, Uruguai, mudou-se com a família para Chicago aos dois anos de idade. Nos Estados Unidos, ele explicou que o movimento estava tão intenso que a violência nos shows o deixava temeroso para levar o equipamento fotográfico em algumas ocasiões: “Só em 1987 que comecei a levar a câmera porque eu tinha mais amigos para me acompanhar”.

Fotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/DivulgaçãoFotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/DivulgaçãoFotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/DivulgaçãoFotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/DivulgaçãoFotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/DivulgaçãoFotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/DivulgaçãoFotos de Martin Sorrondeguy fazem retrospectiva da cena punk. Foto: Martin Sorrondeguy/Divulgação

Com um acervo de 4000 imagens sobre a cena punk, Martin selecionou 400 para o livro “Get Shot: A Visual Diary, 1985-2012”, base da exposição que veio a São Paulo. Composto por 250 páginas, o livro-retrospectiva tem registro de grupos importantes deste cenário, como Fugazi, Operation Ivy e Dropdead, e cenas cotidianas, como os punks posando com seus pais.

Além das fotos, o artista trabalhou em um documentário sobre o hardcore latino nos Estados Unidos, chamado “Beyond The Screams: A U.S. Latino Hardcore Punk Documentary”, com exibição na mostra na próxima quarta-feira (10). “Entrei no punk pensando que era para tocar e fazer perguntas, fazer críticas sobre o mundo e não só estar pela música. As fotos têm a ver com gente que encontrei em viagens, mostra suas vidas e isso me interessa muito”.

O fotógrafo refletiu sobre a diferença da fotografia musical de antigamente, feita por poucas pessoas e com câmeras analógias, e as de hoje, que desfrutam de tecnologia e da praticidade do celular: "antes eram três pessoas tirando foto de um mesmo show, hoje tem 20 pessoas. Às vezes há um número exagerado de fotógrafos e isso pode quebrar um pouco da energia".

Grupos brasileiros de punk-rock como Cólera, Ratos de Porão e Olho Seco foram as primeiras bandas que Martin conheceu por aqui. "Quando comecei a fazer turnê com os Crudos, comecei a tirar muitas fotos. As cenas mudavam de País para País. Uma coisa que me interessou muito no Brasil foi quando vi um grupo de capoeira se apresentando entre shows de punk. Isso é muito único do Brasil e sou muito interessado nessa mescla de cultura".

Na abertura da exposição, que acontece nesta terça, às 19h, serão realizados pocket-shows com o trio de hardcore Likso e o quarteto feminino pós-punk Ratka. Martin estará presente na abertura da exposição e na quarta-feira (10), quando participará de uma conversa após a exibição do documentário que ele produziu. Segundo a coordenadora de comunicação da Matilha, Nina Liesenberg, estarão à venda fotos da exposição em tamanhos diversos, a partir de R$ 20,00, e um pacote que contém um fanzine (produzido por Martin) e um pôster por R$ 15,00.

Exposição “Get Shot” na Matilha Cultural (r. Rego Freitas, 542, São Paulo)
Datas: 09/4 (abertura às 19h) a 12/5
Entrada: gratuita, inclusive para cães
Horários de funcionamento: terça a domingo (12h às 20h) e sábados (14h às 20h)

Leia tudo sobre: ExposiçãofotografiaMatilha CulturalpunkMartin Sorrondeguyigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas