"O Passo do Colapso" reflete crises políticas, econômicas e amorosas; Em entrevista ao iG, ele fala sobre colapsos, música brasileira e o filme "Somos Tão Jovens"

Dado Villa-Lobos lança seu segundo disco-solo,
Christian Gaul/Divulgação
Dado Villa-Lobos lança seu segundo disco-solo, "O Passo do Colapso"

"O que nos resta é aprender a dançar. Entre os escombros de um planeta em colapso. Som bem alto e gente pra rebolar. A TV ensina os novos passos", canta Dado Villa-Lobos na música "O Passo do Colapso", que dá nome ao segundo disco solo do artista também conhecido por seu trabalho com a banda Legião Urbana. O lançamento oficial acontece nesta segunda-feira (8), em apresentação única no Teatro Net, no Rio de Janeiro. É possível escutar o trabalho inteiro no canal oficial do artista no Youtube , gratuitamente.

O colapso

"Eu estava com essa ideia de colapso há um certo tempo, desde 2008, quando rolou o colapso financeiro no hemisfério norte", explicou Dado sobre o mote do disco em entrevista ao iG . Ele disse que também buscou uma reflexão sobre problemas que o Brasil enfrenta em diversas áreas, de relações políticas a ambientais. "O Passo do Colapso é uma brincadeira em cima disso. Você liga a TV e eles vão te ensinar os novos passos pra você dancar", reflete, sobre o trabalho que tem "influências dessa vida inteira" e de tudo que ele ouviu desde criança.

Dado acredita que a discussão do colapso não é, necessariamente, um processo negativo: "O disco é a prova de que é uma reflexão sobre o assunto, é um debate, são canções que estão em função dessa ideia, mas isso me motiva e me fez pensar mais positivamente". As letras falam sobre crises de várias naturezas, como economia, política e relações amorosas. A cantora Mallu Magalhães divide os vocais na suave melodia de "Quando a Casa Cai", que fala sobre os escombros de um relacionamento afetivo em fase final.

Para o show de lançamento nesta segunda, Dado preparou surpresas que não estão no álbum, como uma versão de "3, 6, 9", música do mais recente disco de Cat Power . "Pra mim, ela é uma musa inspiradora, uma artista que eu admiro muito desde sempre. Ela é uma dessas influencias que me assombram e me sustentam". Ele ainda revelou não ser muito fã da nova cena de música popular brasileira, formada por artistas como Naldo e Bonde do Rolê. "Sou um cara mais coroa, tô chegando aos cinquenta daqui a pouco e, pra mim, a música popular brasileira é Chico, Caetano e Gal".

Dado tocará com Lourenço Monteiro (bateria), Laufer (baixo), Caio Fonseca (teclados, guitarra, violão) e Günter Fetter (teclados, programações, guitarra). Mallu Magalhães é uma das parcerias musicais do disco confirmadas para o show de hoje. O álbum ainda tem colaborações de Bi Ribeiro e João Barone (Paralamas do Sucesso), Marcelo Bonfá, Fernando Catatau, Fausto Fawcett, Paula Toller, entre outros.

Brasília nos cinemas

Em 3 de maio, estreia a cinebiografia "Somos Tão Jovens", que conta a história de Renato Russo, vocalista da Legião Urbana, banda com a qual Dado ganhou projeção nacional como guitarrista. O filme mostra a cena de rock que aconteceu em Brasília nos anos 1980 e quem interpreta Dado é o próprio filho dele, Nicolau Villa-Lobos. "Sou muito orgulhoso disso. É incrível o que a gente fez naquela cidade que era um lugar perdido no meio do Brasil, 30 anos atrás, e que ficou marcado na cultura musical brasileira".

Dado Villa-Lobos lança "O Passo do Colapso"

Theatro Net Rio (r. Siqueira Campos, 143, Shopping Cidade Copacabana)
Ingresso: R$ 110,00 inteira (plateia e balcão) 
Horário: 21h
Data: 08/4
Vendas: Ingresso Rápido

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.