Músico de 56 anos tocou nos três primeiros álbuns da cultuada banda britânica

Baterista que tocou nos três primeiros discos do Iron Maiden, Clive Burr morreu na terça-feira (dia 12). Ele sofria de esclerose múltipla e tinha 56 anos. A informação foi divulgada pelo site da banda britânica.

Saiba mais: O que é esclerose múltipla

O Iron Maiden, com Clive Burr à esquerda
Divulgação
O Iron Maiden, com Clive Burr à esquerda

"Estamos profundamente tristes com a morte de Clive Burr. Sua saúde estava mal nos últimos anos após ele ser diagnosticado com esclerose múltipla, e ele morreu em paz em sua casa", diz comunicado do Iron Maiden.

Burr era integrante da banda Samson quando foi convidado a fazer parte do Iron Maiden, em 1979. Tocou nos discos "Iron Maiden" (1980), "Killers" (1981) e "The Number of the Beast" (1982).

Para "The Number of the Beast", Burr co-escreveu as faixas "Gangland" (que entrou no álbum) e "Total Eclipse" (que foi lançada como lado B de um single).

Burr deixou o Maiden ainda em 1982 porque dizia que sua saúde sofria devido às constantes tours. Foi substituído por Nicko McBrian, que está na banda até hoje.

O Iron Maiden será uma das atrações do Rock in Rio, em setembro .

"É uma notícia terrivelmente triste", afirma Steve Harris, baixista do Maiden. "Clive era um velho amigo nosso, uma pessoa maravilhosa e um baterista incrível que deu uma contribuição valiosa para o Maiden nos primeiros anos, quando começávamos." 

O vocalista Bruce Dickinson disse que conheceu Clive "quando ele deixou o Samson para entrar no Iron Maiden. Ele era um cara ótimo, que realmente viveu a vida intensamente. Mesmo nos momentos mais intranquilos da esclerose múltipla, Clive nunca perdeu o senso de humor e a irreverência".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.