Ex-baterista do Iron Maiden, Clive Burr morre após sofrer esclerose múltipla

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Músico de 56 anos tocou nos três primeiros álbuns da cultuada banda britânica

Baterista que tocou nos três primeiros discos do Iron Maiden, Clive Burr morreu na terça-feira (dia 12). Ele sofria de esclerose múltipla e tinha 56 anos. A informação foi divulgada pelo site da banda britânica.

Saiba mais: O que é esclerose múltipla

Divulgação
O Iron Maiden, com Clive Burr à esquerda

"Estamos profundamente tristes com a morte de Clive Burr. Sua saúde estava mal nos últimos anos após ele ser diagnosticado com esclerose múltipla, e ele morreu em paz em sua casa", diz comunicado do Iron Maiden.

Bruce Dickinson em show do Iron Maiden no Rio. Foto: Pedro Kirilos/ Agência O GloboBruce Dickinson em show do Iron Maiden. Foto: Getty ImagesA banda Iron Maiden. Foto: DivulgaçãoPúblico em show do Iron Maiden em São Paulo. Foto: AEO Iron Maiden em show no Rio. Foto: Agência O GloboO Iron Maiden em São Paulo. Foto: Jorge Rosenberg/iGSteve Harris em show do Iron Maiden em São Paulo. Foto: Jorge Rosenberg/iGO baixista Steve Harris. Foto: Getty Images

Burr era integrante da banda Samson quando foi convidado a fazer parte do Iron Maiden, em 1979. Tocou nos discos "Iron Maiden" (1980), "Killers" (1981) e "The Number of the Beast" (1982).

Para "The Number of the Beast", Burr co-escreveu as faixas "Gangland" (que entrou no álbum) e "Total Eclipse" (que foi lançada como lado B de um single).

Burr deixou o Maiden ainda em 1982 porque dizia que sua saúde sofria devido às constantes tours. Foi substituído por Nicko McBrian, que está na banda até hoje.

O Iron Maiden será uma das atrações do Rock in Rio, em setembro.

"É uma notícia terrivelmente triste", afirma Steve Harris, baixista do Maiden. "Clive era um velho amigo nosso, uma pessoa maravilhosa e um baterista incrível que deu uma contribuição valiosa para o Maiden nos primeiros anos, quando começávamos." 

O vocalista Bruce Dickinson disse que conheceu Clive "quando ele deixou o Samson para entrar no Iron Maiden. Ele era um cara ótimo, que realmente viveu a vida intensamente. Mesmo nos momentos mais intranquilos da esclerose múltipla, Clive nunca perdeu o senso de humor e a irreverência".

Leia tudo sobre: iron maidenrock in riomúsica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas