Chorão será enterrado nesta quinta-feira em Santos

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Familiares do vocalista brigaram no Instituto Médico Legal, antes da liberação do corpo

O corpo de Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr., será enterrado nesta quinta-feira, às 15h, no cemitário Necrópole, em Santos (litoral de SP).

Aberto ao público, o velório acontecerá a partir das 20h desta quarta-feira, no ginásio Arena Santos, também em Santos.

O corpo de Chorão foi liberado do Instituto Médico Legal, em São Paulo, na tarde desta quarta, depois que o filho do cantor, Alexandre, 23 anos, chegou ao local com a documentação necessária para levar o corpo a Santos.

Ricardo, irmão de Chorão. Foto: AgNewsRicardo, irmão de Chorão. Foto: AgNewsReginaldo, cunhado de Chorão, no IML de São Paulo. Foto: AgNewsFamiliares de Chorão no IML de São Paulo. Foto: AgNewsReginaldo, cunhado de Chorão, no IML de São Paulo. Foto: AgNewsReginaldo, cunhado de Chorão, no IML de São Paulo. Foto: AgNews

No início da tarde, no IML, o irmão de Chorão, Ricardo, teve uma discussão ríspida com a ex-mulher do cantor,. Graziela Gonçalves.

Segundo informações de redes de televisão, os dois trocaram xingamentos e tiveram de ser apartados por amigos e familiares.

Após a confusão, Ricardo deixou o IML. Graziela permaneceu no local.

A morte

Chorão foi encontrado morto na madrugada desta quarta-feira (6) em seu apartamento em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Ainda não há informações sobre as causas da morte do músico, que completaria 43 anos em 9 de abril.

O corpo de Chorão foi encontrado na cozinha do apartamento pelo motorista do cantor, que chamou a polícia. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas o músico já estava morto.

Segundo o delegado Gilmar Contrera, da 14ª Delegacia de Polícia de Pinheiros, Chorão não se comunicava havia dois dias. Ele também disse que um pó branco foi encontrado no apartamento, mas não confirmou se tratar de cocaína nem traçou qualquer relação entre o pó e a morte do músico.

Repercussão: Famosos lamentam a morte de Chorão, do Charlie Brown Jr.

O apartamento estava "totalmente revirado", segundo o delegado Itagiba Vieira Franco, do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). O cantor tinha um ferimento no dedo e havia manchas de sangue em paredes, interruptores e portas.

De acordo com Elisabete Sato, diretora do DHPP, o resultado dos exames toxicológicos, bem como da análise do pó branco e das imagens de câmeras do prédio devem ficar prontos em cerca de 30 dias.

O motorista, Kleber Attala, e o segurança, de nome Vitor, prestaram depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Eles deixaram o local por volta das 12h40, sem falar com a imprensa. Depois, a polícia começou a ouvir o tio, Ricardo. O filho, Alexandre, de 23 anos, será ouvido nos próximos dias. Ele compareceu ao DHPP para retirar documentos necessários para a liberação do corpo.

A carreira

Conhecido como "Chorão" desde jovem, Alexandre Magno Abrão ganhou o apelido porque ficava assistindo garotos mais velhos andando de skate - um deles disse para que ele não chorasse. O esporte tornou-se uma de suas maiores paixões. Outra era o Santos Futebol Clube, que nesta quarta-feira divulgou um vídeo em sua homenagem, chamando-o de "eternamente menino da Vila".

Foi em Santos que Chorão se tornou vocalista do Charlie Brown Jr. Criada em 1992, a banda lançou nove discos de estúdio e teve diversas formações - Chorão foi o único a integrar todas elas.

O sucesso veio em 1997, com o lançamento do álbum "Transpiração Contínua Prolongada". Canções como "Proibida Pra Mim (Grazon)", "Tudo o que ela Gosta de Escutar", "Gimme o Anel" e "O Coro Vai Comê!" caíram no gosto do público, principalmente o jovem, e fizeram com que o disco vendesse mais de 500 mil cópias.

Outros hits da banda são "Te Levar", "Zóio de Lula", "Rubão", "Hoje eu Acordei Feliz", "Lugar ao Sol", "Papo Reto (Prazer é Sexo, o Resto é Negócio)", "Não é Sério", "Só Por Uma Noite", entre outras.

A trajetória da banda foi marcada por disputas e brigas entre os integrantes. A mais grave ocorreu em 2005, quando Marcão, Renato, Pelado e Champignon deixaram o grupo alegando divergências musicais. Chorão seguiu em frente com uma nova formação, convocando também Thiago Castanho, que participara dos primeiros álbums.

Em 2011, o guitarrista Marcão e o baixista Champignon voltaram a integrar o Charlie Brown Jr. Mas isso não significaria o fim das polêmicas. Em 2012, durante show em Apucarana (PR), Chorão deu uma bronca pública no baixista, dizendo que ele deveria "ficar muito grato" por ter sido aceito de volta após tê-lo acusado de roubar dinheiro do grupo.

Após ouvir a bronca calado, Champignon deixou o palco sob aplausos e gritos de "arregou". Dois dias depois, a banda divulgou um vídeo no qual Chorão se desculpou pelo ocorrido, dizendo que o problema estava resolvido. Em seguida, o baixista disse estar arrependido sobre o que falou do vocalista.

Em frente ao apartamento de Chorão, Champigon lamentou a morte do vocalista: "A gente brigou algumas vezes na vida, mas graças a Deus restabelecemos a amizade", declarou.

Outra briga famosa de Chorão foi com o músico Marcelo Camelo, em 2004. O vocalista do Charlie Brown Jr. deu um soco e quebrou o nariz do integrante do Los Hermanos, após ter sido criticado por fazer propaganda da Coca-Cola.

Com o Charlie Brown Jr., Chorão vendeu 5 milhões de discos. O roqueiro assinou dois roteiros e pretendia escrever biografia.

Leia tudo sobre: chorãomorte de chorãocharlie brown jr.música

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas