Madonna no Rio: “Sou periguete. Estou gostosa?”

Cantora provoca público em quase duas horas de show da turnê “MDNA”. Próxima parada é São Paulo

Valmir Moratelli - iG Rio de Janeiro |

Provocante. Destemida. Diva. Incansável. Pulsante. Prafrentex. Audaciosa. Todos os adjetivos cabem em Madonna. O que se viu em 1h48 de apresentação foi uma jovem senhora de 54 anos em plena forma. É verdade que às vezes parece que vai faltar fôlego para tantas acrobacias e coreografias de um lado para o outro do palco, mas fica só nisso. Parece que vai faltar. Não falta.

Na frente de um palco com telões em chamas, Madonna pula, passa a mão nos bailarinos de peito desnudo, anda de slackline enquanto canta sucessos novos e antigos, é prensada por um espartilho, levanta a saia e mostra o bumbum, escala uma parede, dá tiros e rebola. Como rebola.

Bastidores do show: Rainha de bateria barrada e fila para todo lado

Ingressos: Ainda com entradas disponíves, Madonna inicia turnê pelo Brasil

Previsto para começar às 21h, logo após a apresentação de uma dupla de DJs, a norte-americana só deu o start em seu show da turnê “MDNA” às 23h. O público presente ao Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, neste domingo (2), não perdoou o atraso e, sob vaias, aguardou os minutos que antecederam ao espetáculo. A chuva, que ameaçou cair durante toda a tarde, deu trégua.

Já no começo, as seis primeiras músicas remeteriam a um show visual de uma catedral gótica como cenário. Cantos hebraicos dos "bispos" interpretados pelo trio basco Kalakan, logo após as badaladas de sinos, anunciavam o que viria pela frente: Madonna, tal qual uma santa, cantando “Girl Gone Wild”, junto a seis dançarinos. Todos eles, vestidos de monges, tiraram a capa e dançaram com saltos altos e calças justíssimas.

Na segunda parte do show, ela surge mais colorida, menos soturna. É a vez de “I don't give a...”, tendo no telão participação de Nicki Minaj. Emenda com “Best Friend” e trechos de “Heartbeat”. A saia rodada de líder de torcida e o chapéu de cartola das dançarinas ao redor lembram Xuxa e suas paquitas dos anos 1980. Ao todo, são nove trocas de roupa. Tudo cronometrado para dar certo em poucos minutos. Contando aí o strip-tease da noite, quando ela vai perdendo partes de seu figurino até ficar de lingerie. É o momento mais provocante, no sentido sexual da palavra – visto que o show é todo uma provocação, seja aos dogmas religiosos, ao estilo americano e até à cultura pop.

AgNews
Madonna mostrou plena forma em quase duas horas de show no Rio de Janeiro

Loura periguete

A cantora tentou se comunicar ao máximo com o público, que respondia com aplausos. Ao exibir as costas, criou uma interrogação na cabeça dos seus súditos. Uma imensa tatuagem com a palavra “PERI”. Num dos momentos mais quentes, ela se despe, ficando só de calcinha e sutiã, durante a música “Human Nature”. Vira outra vez de costas e todos podem ler o restante da tatuagem: “GUETE”, formando a palavra “periguete”. É como ela se definiria. “Eu sou uma periguete. Vocês me acham gostosa? Eu estou gostosa? Vocês estão safados demais”, disse.

E pediu dinheiro pela performance de periguete. Foi até a beira do palco para ver quem teria coragem de enfrentá-la. Um fã sacou uma nota de dez reais e a entregou. Como retribuição, Madonna chupou seu dedo.

Haja fôlego

Durante a canção “Open your heart” foi a vez de o público retribuir sua paixão pela cantora. Centenas de balões vermelhos, em formato de coração, foram levantados. Este bloco teve as canções um pouco mais lentas, tempo para recuperar o ar nos pulmões. E conversou com o público. “Vou sentar um pouco, recuperar o fôlego. É sempre fantástico estar aqui. Eu amo o Brasil, eu amo o Rio. As minhas visitas ao país sempre foram ótimas. Muito obrigada, filhos da puta!", berrou.

Apesar de muito dançante, o show não contagiou tanto. Em vários momentos, as pessoas se preocupavam mais em tirar fotos e filmar o telão – gigante e em altíssima definição, do que acompanhar as letras. Com “I’m a Sinner” (com trechos de “Cyber-raga”, um medley de mantras indianos), a ótima “Like a Prayer” e, encerrando a noite, “Celebration” vs. “Give it 2 Me”, Madonna colocou todos para pular ao seu sinal.

Esta é a terceira passagem de Madonna para shows no Brasil. Ela já mostrou ao país a turnê "The girlie show", em 1993, e a "Sticky and sweet tour", em 2008. O show deste domingo no Rio é o primeiro de quatro apresentações da popstar no Brasil em 2012. Agora segue para São Paulo (estádio do Morumbi), 4/12 e 5/12, e Porto Alegre (Estádio Olímpico), 9/12.

Veja a ordem das músicas:

1. Introdução:
2. “Girl gone wild”
3. “Revolver”
4. “Gang bang”
5. “Papa don't preach”
6. “Hung up”
7. “I don't give a...”
8. “Best friend”
9. “Express yourself”
10. “Give me all your luvin”
11. “Turning up the hits” (com “Holiday”, “Into the groove”, “Lucky star”, “Like a virgin”, “4 minutes”, “Ray of light” e “Music”)
12. “Turn up the radio”
13. “Open your heart”
14. “Holiday”
15. “Masterpiece”
16. “Justify my love”
17. “Vogue”
18. “Candy shop”
19. “Human nature”
20. “Like a virgin”
21. “Love spent”
22. “Nobody knows me”
23. “I’m addicted”
24. “I’m a sinner” (com trechos de mantras indianos)
25. “Like a prayer”
26. “Celebration” vs. “Give it 2 me”

Veja vídeos da apresentação:

Início do show:


Público:


 "Like a Prayer"


Trecho da apresentação:


Final do show:

    Leia tudo sobre: madonnashows no brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG