Paul McCartney nega que Yoko Ono tenha causado o fim dos Beatles

"O grupo já estava se separando", afirma baixista; segundo ele, mulher de John Lennon foi fundamental na carreira do cantor

iG São Paulo |

Em uma entrevista com o apresentador britânico David Frost, marcada para ir ao ar no próximo mês, Paul McCartney nega definitivamente as especulações de que o relacionamento de Yoko Ono com John Lennon teria provocado a separação dos Beatles.

Análise: 50 anos depois, por que a música dos Beatles ainda é tão boa?

Segundo ele, embora a presença da artista japonesa nos ensaios realmente atrapalhasse, o destino da banda era inevitável. "Yoko certamente não separou o grupo, o grupo já estava se separando", disse McCartney, em declaração adiantada pelo jornal The Guardian.

Reprodução
Yoko Ono e John Lennon

Paul declarou ainda que Yoko, alvo da antipatia de fãs desde 1970, ano da dissolução dos Beatles, foi responsável por expandir os horizontes de Lennon para a arte e que, sem ela, dificilmente músicas como "Imagine" existiriam.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Não acho que ele teria feito nada disso sem Yoko. Quando ela apareceu, parte de seu apelo era o lado avant garde, sua visão das coisas, e mostrou a ele um novo jeito de ser. Então era hora de John sair, com certeza faria isso de um jeito ou de outro", afirmou, lembrando que a o grupo acabou na hora certa, para deixar um legado "bacana".

McCartney demonstrou rancor, isso sim, com o empresário Allen Klein, que passou a gerenciar os Beatles após a morte de Brian Epstein em 1967. A influência de Klein teria estimulado Paul, que esmurrou uma foto do empresário, a entrar em conflito com os demais membros da banda. "Eu estava brigando com os três caras que tinham sido meus amigos de alma a vida inteira. Queria era brigar com Klein."

Leia também:  Discografia remasterizada dos Beatles será relançada em vinil

McCartney conta que um dos motivos pelo qual ele e John foram muito próximos é que ambos perderam suas mães ainda na juventude. A mãe de Lennon foi morta após ter sido atropelada, quando ele tinha 17 anos. McCartney perdeu sua mãe quando ele tinha 14 anos de idade.

No início deste mês, o primeiro compacto lançado pelos Beatles, "Love Me Do" , completou 50 anos.

* com BBC Brasil

    Leia tudo sobre: beatlesjohn lennonpaul mccartneyyoko ono

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG