Arranjo "perdido" de Beethoven é encontrado dois séculos depois

Peça de 1820 é uma harmonia para um canto gregoriano de mil anos de idade

BBC Brasil |

BBC

Reprodução
O compositor Beethoven

Quase dois séculos depois, um arranjo até então desconhecido do compositor alemão Ludwig van Beethoven, feito para um antigo hino religioso, foi descoberto em uma biblioteca de Berlim.

Há exatamente 192 anos, o compositor escreveu uma harmonia para o canto gregoriano "Pange Lingua", modificando o tom na escala musical, segundo o professor da Universidade de Manchester, Barry Cooper, responsável pela descoberta. A passagem foi escrita em um caderno, mas já havia sido considerada um exercício ou um esboço para outra peça.

Siga o iG Cultura no Twitter

O professor Cooper reconheceu a melodia do hino e identificou a peça de dois minutos como uma obra de Beethoven até então desconhecida. Principal especialista sobre o compositor, ele disse que se tratava de um exemplo raro do compositor escrevendo música religiosa. "Fiquei muito surpreso quando descobri isso - eu não imaginava que ele havia escrito algo assim", disse ele.

"Pange Lingua"

O caderno, que está na Biblioteca Estadual de Berlim, data de cerca de 1820. E foi transcrito e publicado em 2010. Cooper disse que estudiosos de Beethoven não haviam identificado a peça antes porque "parecia uma série de notas". "Quando eu olhei para ele, pensei, hey, isso não é apenas uma série de notas, mas um hino com harmonia de Beethoven".

Leia também: Carta deixada de herança revela falta de dinheiro de Beethoven

"Parece que as pessoas que são especialistas em canto gregoriano não olharam o rascunho de Beethoven e as pessoas que são especialistas em rascunhos de Beethoven não olharam para o rascunho. Mas ocorreu de eu saber sobre ambas coisas."

Beethoven fez pequenas alterações para a melodia de "Pange Lingua", canto gregoriano de 1.000 anos de idade, disse Cooper. A peça pode ter sido executada na cerimônia em que o patrono de Beethoven, arquiduque Rudolph da Áustria, foi feito arcebispo de Olmutz, em março de 1820, quando o compositor tinha 49 anos.

"Extraordinário"

Especialistas em Berlim haviam assumido que a peça era um esboço para a famosa Missa Solene de Beethoven, que foi escrita no mesmo período. "Ele nunca compôs música funcional - a única música litúrgica que ele escreveu foi para as duas grandes missas," disse o professor Cooper. "Então, encontrá-lo escrevendo música funcional para um culto ordinário da igreja é algo extraordinário."

O professor William Drabkin, da Universidade de Southampton, que publicou os desenhos, descreveu a peça como uma "muito rudimentar". "Quando eu fiz as transcrições do esboço, pensei que era algum tipo de exercício em contraponto", disse ele. "Eu não podia dimensioná-lo." Ele acrescentou: "A peça adiciona uma pequena contribuição para nosso conhecimento sobre o que Beethoven estava fazendo na década de 1820."

    Leia tudo sobre: beethovenmúsicaerudito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG