"Sherlock" da música busca locais onde foram feitas capas de disco famosas; veja

Bob Egan, de 59 anos, é o criador do projeto "Popspots", que investiga lugares que serviram de locação para fotos de álbuns de Bob Dylan, Neil Young, Ramones, The Who e mais

BBC Brasil |

BBC

O americano Bob Egan, de 59 anos, é chamado de "detetive da cultura pop" porque encontra lugares onde foram tiradas fotos usadas em capas icônicas de discos.

Ele disse à BBC Brasil que começa sua busca pela internet. "Vejo se algo já foi escrito sobre aquele local. Caso contrário, procuro o fotógrafo pelo nome e vejo se ele tirou outras fotos ali no mesmo dia, que deem mais pistas", descreve.

De posse dos endereços ou localizações aproximadas, Egan usa ferramentas como os mapas do Google Street View e do Bing, fotos históricas do arquivo da biblioteca pública de Nova York ou outras, encontradas na internet. "Eu procuro até no eBay com as palavras 'promo' e 'promocional' (além do nome do disco). Os anúncios deles frequentemente mostram a foto da capa de ângulos diferentes", revela.

Depois, ele superimpõe as capas dos discos às imagens atuais dos locais para descobrir o ponto exato onde as fotos foram feitas. "Sempre gostei de visitar lugares onde eventos históricos aconteceram", diz. "Mas também gostava de ir a lugares como a casa de Jack Kerouac ou o local de Woodstock."

Para encontrar o local da capa do disco "Highway 61 Revisited", de Bob Dylan, Egan só tinha uma pista: o músico disse que a foto foi feita na casa de seu empresário. "Descobri que o empresário dele era o mesmo de Janis Joplin e que ela se sentava na varanda da casa olhando o Parque Gramercy. Só havia quatro casas com varanda de frente para o parque na rua, e assim descobri onde Dylan estava sentado."

Siga o iG Cultura no Twitter

Segundo Egan, ele começou com discos que cresceu ouvindo. Posteriormente, outras pessoas começaram a enviar sugestões. Depois da "missão cumprida", ele disponibiliza as localizações detalhadas em seu site , "para que os leitores também possam conhecê-los".

"Se eu fosse à Inglaterra e alguém me perguntasse se preferia ir à Abadia de Westminster ou a Abbey Road, eu preferiria Abbey Road", diz.

A primeira imagem do projeto "Popspots", do local onde o músico Neil Young estava na capa do disco "After the Gold Rush", de 1970, gerou reações inesperadas. "O fotógrafo me agradeceu por ter encontrado o local, que ele tinha esquecido. Graham Nash, do (grupo) Crosby, Stills, Nash e Young disse que também estava na foto, mas foi cortado. Então o fotógrafo me mandou esta também", conta.

O sucesso, após um ano e meio de "investigações", fez com que Egan expandisse o projeto para a Grã-Bretanha e para outras cidades americanas como Chicago e Los Angeles. Ele também tem colaboradores na França.

"As pessoas já me escreveram sobre o site e usaram fotos dele em mais de 20 países. Todo mundo ama rock'n'roll", diz o americano, que nas horas vagas trabalha como corretor de imóveis.

"Quando eu tiver lugares suficientes, gostaria de transformar o Popspots em um documentário. É muito divertido", diz o americano.

Ele afirma ainda que quer expandir o "Popspots" para incluir pinturas, livros e fotos históricas. "Espero um dia receber um pedido do Brasil e fazer um popspot, é um país tão bonito."

    Leia tudo sobre: capas de disconeil youngramonesthe whodavid bowie

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG