Sem querer, Chico Buarque vira trilha sonora do mensalão

"Vai Passar" e "Apesar de Você", duas das músicas mais emblemáticas do cantor, são citadas por acusação e defesa no julgamento

Thiago Ney iG São Paulo | - Atualizada às

De um lado, "Vai Passar". Do outro, "Apesar de Você". O julgamento do mensalão ganhou como trilha sonora duas das canções mais emblemáticas de Chico Buarque.

Na abertura do julgamento, em 3 de agosto, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encerrou sua fala de acusação citando um trecho de "Vai Passar" : "Dormia a nossa pátria mãe tão distraída/ Sem perceber que era subtraída/ Em tenebrosas transações".

Quatro dias depois, Leonardo Yarochewsky, advogado de Simone Vasconcelos, ex-diretora da agência SMP&B, provocou o procurador-geral ao lembrar outra canção de Chico, "Apesar de Você" . O trecho dito pelo advogado no STF: “Você que inventou esse Estado/ Inventou de inventar/ Toda escuridão/ Você que inventou o pecado/ Esqueceu-se de inventar o perdão/ Apesar de você/ Amanhã há de ser outro dia”.

"Apesar de Você" e "Vai Passar" representam dois momentos bem distintos não apenas da carreira de Chico mas também da história recente do Brasil.

Em 1970, Chico Buarque retornou ao Brasil vindo de um auto-exílio na Itália. A ditadura, sob Médici, vivia um de seus momentos mais rigorosos. Chico compôs então "Apesar de Você", uma crítica subliminar ao regime.

Infográfico: A cronologia do mensalão

Os versos sinuosos ("Hoje você é quem manda/ Falou, tá falado/ Não tem discussão/ A minha gente hoje anda/ Falando de lado/ E olhando pro chão, viu/ Você que inventou esse estado/ E inventou de inventar/ Toda a escuridão...") driblaram a censura, e a música foi lançada em compacto. O disco chegou a vender cerca de 100 mil cópias, até que os generais perceberam o teor da canção e o compacto foi recolhido e proibido.

Em seu site, Chico conta que foi questionado sobre quem seria o "você" da canção. Respondeu: "Uma mulher muito autoritária". "Apesar de Você" só voltou a ver a luz em 1978, quando foi liberada para aparecer no disco de Chico Buarque daquele ano.

Infográfico: Quem são os 38 réus do mensalão e a que crime respondem

Enquanto "Apesar de Você" nasceu sob a sombra e a rédea curta do AI-5, "Vai Passar" surgiu quando o regime militar se esvaía. Ainda havia censura, mas o país gritava e vislumbrava a democracia.

Composição de Chico e Francis Hime, "Vai Passar" saiu no disco "Chico Buarque 1984". À época, a campanha Diretas Já ganhava corpo pelo Brasil.

Leia também: Advogados acusam STF de desprezar ampla defesa

"A ideia (de "Vai Passar") não tem nada a ver com este momento. Fala de um tempo novo, da esperança de que esta página infeliz da nossa história fosse virada. A ideia foi germinando e brotou no momento exato. Se tivesse gravado um disco no ano passado, ela talvez estivesse naquele disco. É evidente que os acontecimentos externos influenciam demais a criação, mas 'Vai Passar' não é reflexo de uma imagem, somente", disse Chico em entrevista ao "Globo" em fevereiro de 1985.

Nos versos finais da música, Chico canta: "Ai, que vida boa, olerê/ Ai, que vida boa, olará/ O estandarte do sanatório geral vai passar". A esperança embutida em "Vai Passar" é, então, escancarada.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG