Ex-assistente é condenada por furtar baixista do U2

Justiça irlandesa concluiu que Carol Hawkins desviou o equivalente a R$ 7 milhões das contas bancárias do músico

Reuters |

Reuters

Getty Images
Adam Clayton, baixista do U2

Uma ex-assistente pessoal do baixista do U2, Adam Clayton, foi condenada nesta sexta-feira por se apropriar do equivalente a R$ 7 milhões do músico, o que lhe permitiu manter um estilo de vida luxuoso.

A irlandesa Carol Hawkins, de 48 anos, foi condenada de forma unânime por um júri ao final de 18 dias de julgamento na Corte do Circuito Criminal da capital Dublin. Promotores disseram que ela desviou quantias de duas contas bancárias de Clayton entre 2004 e 2008.

Em depoimento, Clayton disse que ficou "absolutamente estupefato" quando descobriu que Hawkins, que gozava da sua absoluta confiança, havia gasto o equivalente a R$ 1,1 milhão em cavalos de corrida.

Clayton havia contratado Hawkins como governanta da sua casa em Dublin, e em 2004 passou a ter liberdade para movimentar as contas dele - mas isso deveria valer só para despesas da residência, segundo o músico.

Colm O'Brian, advogado do baixista, disse ao júri que a ré "se aproveitou da boa natureza e da confiança" do roqueiro, e que "procedeu como um redemoinho, fazendo compras na Quinta Avenida (Nova York) e na Bond Street (Londres), para deleite dos varejistas".

Hawkins, que se declarou inocente, receberá sua condenação em 6 de julho.

    Leia tudo sobre: Adam ClaytonU2música

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG