Baixista do U2 depõe contra ex-assistente pelo roubo de US$ 3,5 milhões

Ex-funcionária de Adam Clayton fez inúmeros saques não autorizados até acumular a quantia

EFE |

EFE

Getty Images
O baixista do U2, Adam Clayton

O baixista do U2, Adam Clayton, começou a depor nesta quinta-feira (21) no julgamento contra sua ex-assistente pessoal, Carol Hawkins, acusada de ter se apropriado de US$ 3,5 milhões das contas bancárias do reconhecido músico.

Siga o iG Cultura no Twitter

A ex-funcionária de Clayton, que começou a trabalhar com o astro em 1992, enfrenta 184 acusações por supostamente ter roubado 181 cheques entre 2004 e 2008. Segundo a acusação, Carol aplicou o dinheiro em uma conta bancária compartilhada com seu marido, que trabalhava para o músico como motorista e cozinheiro.

Aparentemente a acusada, que há 15 dias se declarou inocente, fez inúmeros saques não autorizados até acumular um total de US$ 3,51 milhões. A cada movimentação, Carol retirava quantias que variam entre US$ 2.513 e US$ 389.552.

A ex-assistente pessoal do baixista do U2, que tem 48 anos e é mãe de dois filhos, escutou atentamente Clayton enquanto este descrevia os detalhes de sua relação profissional e de suas contas bancárias, que, em alguns casos, trazia a própria como titular.

Leia também: Disco "One", do U2, completa 20 anos

Segundo as declarações do músico, Carol desempenhava suas tarefas como emprega de maneira "eficiente", já que compartilhava com seu marido um salário de aproximadamente 48 mil euros anuais. O baixista relatou também que, em uma ocasião, ela confessou ter reservado passagens de avião avaliadas entre 13 mil e 15 mil euros para levar seus filhos aos Estados Unidos e a Londres.

O roqueiro reassumiu o controle de suas contas, mas ainda manteve Carol como sua empregada. "Ela tinha toda minha confiança. Trabalhamos juntos durante muito tempo", afirmou Clayton ao júri.

Em um momento de sua declaração o músico, de 52 anos, chegou a brincar ao dizer que não estava acostumado a ficar de pé diante de um microfone. "Sou mais de 'dum, dum, dum', mas praticarei minha técnica", afirmou o baixista, que faz parte do U2 há 30 anos. 

    Leia tudo sobre: Adam ClaytonU2

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG