Banda formada por vovós russas conquista a Europa

Grupo musical ficou em segundo lugar no festival Eurovision

EFE |

As vovós russas que conquistaram a Europa ao ficarem em segundo lugar no festival da canção Eurovision 2012 aos poucos retomam sua rotina, que inclui cultivar batatas e reconstruir a igreja de seu povoado.

"Party for everybody. Dance. Come on and dance. Bum, bum", é o refrão em inglês que tornou famosas as Buranovskiye Babushki (avós de Buránovo) oriundas da república da Udmórtia (Urais), na Rússia profunda. A grande vencedora do Eurovision 2012 foi a cantora sueca Loreen, mas a apresentação que cativou os espectadores de todo o continente foi "Party for Everybody", na qual as setuagenárias russas - os demais participantes quase não superavam os 30 anos - inclusive ofereceram empadinhas aos espectadores após cozinhá-las em um forno à lenha em pleno palco.

AP
O grupo Buranovskiye Babushki, em apresentação no Eurovision 2012

As avós russas subiram ao palco com longos vestidos vermelhos, lenços, uma espécie de mocassins e não deixaram de se movimentar ao ritmo da folk dance durante os três minutos de música. Entre todas elas, a estrela é Natalia Pugachova, uma pequena senhora de 76 anos e apenas um metro e meio de altura, que se transformou em uma celebridade por seu sorriso eterno e por sua inesgotável vitalidade.

O grupo, que interpretou seu tema em língua udmurt (dos Urais), com exceção do refrão em inglês, não pôde conter as lágrimas de emoção ao término da votação na cidade de Baku, no Azerbaijão, onde o público não deixou de aplaudi-las. Até a correspondente da edição alemã da revista Rolling Stone demonstrou sua decepção pela derrota das vovós russas no concurso musical. "É muito triste que as babushki não tenham ganhado, já que sua canção era fantástica. Adorei e lhes desejei sorte, já que as apresentações dos demais participantes foram muito menos interessantes", disse.

Agora as avós dedicarão o dinheiro arrecadado a reconstruir uma igreja em seu povoado, de onde saíram praticamente pela primeira vez em suas vidas para competir no Eurovision. "No dia 30 de maio temos a cerimônia de colocação dos alicerces da igreja que as vovós vão reconstruir", afirmou Ksenia Rubtsova, produtora do grupo.

Getty Images
O grupo Buranovskiye Babushki

Exatamente esse foi o motivo da participação no concurso europeu desse peculiar grupo procedente de Buránovo, localidade de 650 habitantes situada a cerca de 30 quilômetros de Izhevsk, capital da Udmórtia, célebre por acolher a fábrica dos fuzis Kalashnikov.

Siga o iG Cultura no Twitter

Além disso, as vovós se dedicarão "a apanhar escaravelhos colorados", acrescentou, pois, aparentemente estão preocupadas pelo fato de este inseto ter afetado as batatas de suas hortas durante suas duas semanas de ausência para participar do Eurovision. Em seguida, o coro atenderá aos convites de diferentes cidades do país e da Europa, o que inclui uma apresentação na Praça Vermelha de Moscou no próximo 12 de junho, no Dia da Pátria na Rússia.

"Vamos viajar. As vovós têm muita vontade de ver diferentes países e visitar novas cidades. Cada uma delas comprou um grande mapa e já marcaram os lugares que visitaram. Já estão perguntando para onde iremos primeiro", comentou Ksenia.

E, também, confiam que seu sucesso no Eurovision convença as autoridades locais sobre a necessidade de melhorar as condições de vida em Buránovo. "As coisas já estão mudando. O presidente da Udmórtia acaba de visitar Buránovo e pelo que sei está fazendo todo o possível para que ali haja uma Buránovo-City, como dizem as avós", apontou a produtora.

Com relação ao futuro, Ksenia assegurou que o grupo não tem intenção de participar de outros concursos de televisão. "A medalha de prata é uma vitória. Em todo caso, isso representa um grande estresse para as vovós e já fizeram tudo que delas dependia. Já não precisam de mais nada", ponderou.

O presidente da Udmórtia, Aleksandr Volkov, qualificou de "extraordinário" o resultado obtido pelo coro, que somou 259 pontos contra 372 da cantora sueca que levou o grande prêmio. "Dezenas de milhões de pessoas em todos os cantos do mundo escutaram uma preciosa canção na língua da Udmórtia, apreciaram a originalidade e a honestidade das cantoras da Rússia profunda", assinalou.

Volkov ressaltou que "para conquistar o público elas não recorreram a roupas da moda ou às possibilidades oferecidas pela tecnologia por computador", e destacou "a bondade das mulheres do campo". Até o embaixador americano Michael McFaul, que mantém tensas relações com as autoridades russas, felicitou efusivamente as Buranovskiye Babushki por sua "excelente" apresentação.

    Leia tudo sobre: EurovisionBuranovskiye Babushkimúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG