Público acima de 50 anos é alvo de produtores de show no Brasil

Consumidor mais velho em geral tem maior poder aquisitivo e gasta mais em apresentações

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
André Rieu
A partir da próxima semana, o maestro e violinista holandês André Rieu inicia uma série de 20 apresentações no Ginásio do Ibirapuera , cada uma delas com 8 mil entradas à venda. São 160 mil ingressos disponíveis, número maior, por exemplo, do que o do Lollapalooza , o principal festival de rock realizado no Brasil neste ano, que reuniu 135 mil pessoas.

O sucesso de Rieu chama a atenção para um público importante no mercado de shows no Brasil: as pessoas com mais de 50 anos. "É uma parcela fundamental do público e que está em expansão", explica Elvis Patez, programador artístico do HSBC Brasil, uma das principais casas de shows de São Paulo.

Leia também: Shows de André Rieu no Brasil equivalem a mais de dois Morumbis lotados

Em 2011, a casa teve ingressos esgotados com atrações internacionais voltadas para essa faixa etária, como Julio Iglesias e Billy Paul. Neste ano, Chico Buarque lotou o local durante um mês e meio. "Chico é um artista que atrai todas as faixas etárias, mas a maior parte dos pagantes tinha mais de 40 anos", diz Patez.

Taiz Dering
Chico Buarque
Segundo ele, o público total atraído pelos olhos verdes do cantor poderia lotar um estádio do Morumbi. No caso de André Rieu, o número é ainda maior: mais de dois Morumbis.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Quando Rieu começou, ele atraía um público mais adulto. Mas, atualmente, ele chama toda a família: filhos, pais, avós. Esse é o segredo de seu sucesso", diz Manoel Poladian, promotor dos shows do holandês no Brasil.

Não são apenas artistas românticos e eruditos que atraem o público maduro. Veteranos do rock também fazem sucesso entre os mais velhos. Esse público, por exemplo, foi fundamental para o ex-líder do Pink Floyd, Roger Waters , encher duas noites no estádio do Morumbi.

O consumidor mais velho tem algumas vantagens em relação aos mais jovens. O poder aquisitivo, em geral, é maior. Os ingressos mais caros de André Rieu, por exemplo, custam R$ 2,5 mil por pessoa e dão direito a cadeira na frente do palco, jantar e encontro com o músico após o show.

AE
Roger Waters
"É um público que exige qualidade", diz Patez. Um exemplo, segundo ele, são as bebidas vendidas nos shows. Enquanto o público jovem bebe cerveja, os mais velhos preferem uísque e vinho. Gastam mais, portanto.

Já a incidência de meia-entrada, de acordo com Patez, é quase a mesma dos shows "jovens". "É claro que há menos estudantes. Mas idosos também têm direito a meia, então não muda muito", explica.

"O cenário de shows está fortalecido no Brasil porque o país passa por um momento de estabilidade econômica", festeja Alexandre Faria, diretor artístico e de operações da Time 4 Fun. "Prova disso é o aumento no número de shows que promovemos e de ingressos que vendemos".

Nos próximos meses, não faltarão atrações também para o público mais velho em São Paulo. O Via Funchal, por exemplo, receberá o BMW Jazz Festival , com Chick Correa e Maceo Parker, e o bluesman B.B. King . No Credicard Hall, Scorpions e Yanni tocam no segundo semestre. E, no HSBC Brasil, o destaque será a banda Marillion.

    Leia tudo sobre: André Rieumúsicashows

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG