'Acústico MTV' revê 30 anos de carreira de Arnaldo Antunes

Cantor completa 52 anos e lança CD e DVD ao vivo com sucessos de sua trajetória

AE |

Photo Rio News
Arnaldo Antunes
"Envelhecer", a canção, diz muito sobre o Arnaldo Antunes. Registrada no seu disco "Iê Iê Iê", de 2009, foi composta com Ortinho e Marcelo Jeneci, músicos e amigos de gerações mais recentes. A faixa flerta com uma musicalidade de Jovem Guarda e encara a chegada da idade com um bom humor sacana e jovial. Não poderia ser mais Arnaldo: irônico, sarcástico, divertido.

"Ser eternamente adolescente nada é mais démodé / Com uns ralos fios de cabelo sobre a testa que não para de crescer / Não sei por que essa gente vira a cara pro presente e esquece de aprender / Que felizmente ou infelizmente sempre o tempo vai correr", canta o músico, ex-Titãs e ex-Tribalistas.

São 30 anos de carreira e, numa comemoração torta, ele revisita as três décadas no projeto "Acústico MTV", que vai ao ar nesta quinta-feira, às 20h. CD e DVD chegam nas lojas no dia 10. Torta, sim, porque, segundo Arnaldo, o fato de completar três décadas de carreira junto com o lançamento do disco é mera coincidência.

Prestes de completar 52 anos, Arnaldo não esconde a idade, não foge do passado e "não vira a cara pro presente". Olha para frente - apesar de manter o corte de cabelo sem costeletas, ostentado entre idas e vindas desde os anos 80. Mesmo que não queira, é uma espécie de padrinho de uma geração nova, do já citado Jeneci (tecladista e acordeonista da sua banda) e Curumin (baterista).

Ao lado do fiel escudeiro, Edgard Scandurra, dois anos mais novo, ele faz o que Gilberto Gil e Jorge Ben Jor fizeram com ele. "Acho que isso é um reflexo do meu interesse. Sou muito curioso. Existe uma necessidade de renovação, de buscar novos parceiros e afinidades", conta ele, por telefone, no ônibus a caminho de Lavras, em Minas Gerais, na última sexta-feira.

Não por acaso, os trabalhos com Titãs, Tribalistas e carreira solo, foram todos reformulados, como o formato acústico pede. "Envelhecer" fecha o DVD como a 22ª canção. Arnaldo não fica parado no tempo, nem pensa em voltar. O presente e o futuro são mais interessantes, mesmo que os cabelos não parem de cair e que a testa não pare de crescer a cada ano.

    Leia tudo sobre: Arnaldo Antunesmúsicalançamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG