Nada Surf: "Somos mimados. Gostamos de tocar para quem nos conhece"

Banda prepara repertório especial para o Brasil; turnê continua com shows em Curitiba e Florianópolis neste final de semana

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Divulgação
Nada Surf
A banda americana Nada Surf dá continuidade, neste final de semana, a sua turnê pelo Brasil. Depois de se apresentar em Recife e em São Paulo, o grupo toca neste sábado (28) em Curitiba e neste domingo em Florianópolis (29).

Ambas as apresentações serão do jeito que a banda prefere: em locais fechados. "Somos mimados. Gostamos de tocar para pessoas que conhecem nossas músicas", brinca o vocalista Matthew Caws, em entrevista ao iG .

A frase veio após o cantor comparar as duas primeiras performances da turnê brasileira. Em Recife, o Nada Surf tocou em um grande festival, o Abril Pro Rock. Em São Paulo, numa casa de shows relativamente pequena, o Cine Joia.

"Festivais e shows fechados são bem diferentes. O legal de um festival é poder circular, ver outras bandas. O problema é que você acaba tocando para um público que, muitas vezes, nunca ouviu uma música sua", explica.

No show que a banda fez na última quarta em São Paulo, esse problema não aconteceu. "Tinha gente com cartazes pedindo músicas", conta um surpreendido Matthew Caws. "Não esperava por isso".

Segundo ele, num pocket show que o grupo fez um dia antes da apresentação em São Paulo, havia até uma pessoa com o nome de uma música do Nada Surf tatuada no braço. "Era 'Amateur', que a gente não tocava há muito tempo", conta. Ouça a faixa abaixo:

A canção acabou entrando no repertório dos shows, meio de improviso. "Não tinha como não entrar depois disso, não é?", diz o cantor. O setlist dos shows no Brasil, aliás, anda bem diferente do que é tocado na América do Norte e Europa.

Divulgação
Nada Surf
"Tentamos tocar pelo menos uma ou duas músicas de cada disco nosso. Fazia muito tempo que não vínhamos ao Brasil, então a ideia é fazer os fãs felizes e tocar um pouco de tudo", explica.

"Na Europa e na América do Norte foi diferente. Tocamos nosso disco novo ('The Stars Are Indiferent to Astronomy', lançado em janeiro) quase inteiro e poucas das músicas antigas. Afinal, nós tocamos lá sempre", finaliza.

O novo álbum é o primeiro disco de inéditas do Nada Surf. O trabalho mais famoso da banda é seu disco de estreia, "High/Low", que traz o hit "Popular", muito tocado na MTV brasileira nos anos 1990.

Antes de "The Stars Are Indifferent to Astronomy", o último disco de inéditas do grupo havia saído em 2008. "Eu levo muito tempo para finalizar as canções", justifica Caws. "Faz uns seis meses que não termino uma música!"

Isso não significa que ele não trabalhe bastante. "Eu componho muito. Mas sempre coisinhas pequenas, de uns 40 segundos. Para me divertir mesmo, sabe? O problema é finalizar", afirma.

Depois de tocar em Curitiba e Florianópolis, o Nada Surf segue para a Argentina. Em seguida, volta ao Brasil para mais três shows: Rio de Janeiro (2/5), Belém (4/5) e Fortaleza (5/5)

Nada Surf em Curitiba
Curitiba Music Hall (Rua Engenheiros Rebouças, 1645, Rebouças)
Abertura: Selvagens à Procura de Lei e Nuvens
Horário: 21h (porta)/ 22h (show)
Ingressos: R$ 100 (primeiro lote), R$ 120 (pista) e R$ 140 (camarote)
Venda on-line: www.diskingressos.com.br

Nada Surf em Florianópolis
John Bull (Av. Das Rendeiras, 1046, Lagoa da Conceição)
Abertura: Selvagens à Procura de Lei
Horário: 21h (porta)/ 22h (primeiro show)/ 23h00 (segundo show)
Ingressos: R$ 40 (primeiro lote), R$ 50 (segundo lote) e R$ 60 (porta)
Venda on-line: www.blueticket.com.br

    Leia tudo sobre: Nada Surfmúsicashows

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG