Procon determina suspensão de venda de ingressos para Madonna

Segundo órgão de defesa do consumidor, Time 4 Fun não pode cobrar taxa de conveniência e fazer pré-venda

iG São Paulo |

Reuters
Madonna
O Procon-SP, órgão de defesa do consumidor de São Paulo, determinou nesta sexta-feira a suspensão de venda de ingressos para o show que Madonna faz na capital paulista.

A pré-venda deveria começar nesta segunda-feira (23) e a venda para o público em geral, na quarta-feira (25).

Leia também: Madonna canta em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre em dezembro

Em comunicado oficial, o órgão disse ter exigido que a Time 4 Fun, organizadora do show, deixasse de cobrar a taxa de conveniência e não fizesse mais pré-venda.

De acordo com o Procon, a empresa é reincidente em práticas abusivas e já foi autuada em mais de R$ 4 milhões nos últimos dez anos.

Através de um comunicado à imprensa, a Time 4 Fun afirmou que a suspensão é "uma decisão administrativa e unilateral do Procon-SP, que será impugnada pelos meios legais cabíveis".

Veja abaixo a íntegra da nota divulgada pela assessoria de imprensa do Procon:

"Depois de notificar a T4F Entretenimentos S/A, responsável pela comercialização dos ingressos para o show da popstar Madonna em São Paulo, a Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça, determinou a suspensão das vendas, a partir da 0h da próxima segunda-feira (23), até que a empresa corrija irregularidades encontradas pela fiscalização. A empresa já recebeu a intimação sobre a decisão, na tarde desta sexta-feira (20).

O órgão deu prazo até o início da tarde de ontem (19) para que a T4F deixasse de cobrar a taxa de conveniência – pois não existe 'conveniência' efetiva ao consumidor, que ao comprar pela internet ou telefone, ainda tem que pagar pela entrega do ingresso – e realizar a pré-venda, atividade considerada discriminatória pelo órgão de defesa do consumidor do Estado. 'A empresa tem que corrigir a conduta para continuar vendendo os ingressos sem lesar o consumidor', explica o diretor de fiscalização do Procon-SP, Renan Ferraciolli.

Além da medida, a empresa será autuada e poderá pagar multa entre R$ 400 a R$ 6,5 milhões, com prazo de 15 dias para apresentar defesa.

A T4F é reincidente em práticas abusivas na venda de ingressos e já foi autuada em mais de 4 milhões nos últimos dez anos. Mesmo alertada durante reunião realizada em março deste ano com o Ministério Público (MP-SP) e Procon-SP – da qual também participaram Livepass, Ingresso Fácil e Plan Produções, não modificou a conduta."

    Leia tudo sobre: Madonnashowsmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG