“Monólogos da Vagina” volta à cena discutindo identidade feminina

Nova montagem estreia em 30 de março com Chris Couto, Adriana Lessa e Fafy Siqueira no elenco

iG São Paulo |

Divulgação
As atrizes Fafy Siqueira e Adriana Lessa, que estão em mais uma montagem da peça da autora americana Eve Ensler
Está marcada para o dia 30 de março, em São Paulo, a estreia de uma nova montagem nacional da peça “Monólogos da Vagina”, texto da americana Eve Ensler adaptado e dirigido por Miguel Falabella.
A primeira vez em que os “Monólogos” estiveram em cartaz no Brasil foi em 2000, e desde então o texto tem tido novas adaptações, com diferentes atrizes. Já passaram pelo elenco, por exemplo, Cissa Guimarães, Totia Meirelles e Lúcia Veríssimo.
Na montagem atual, as mulheres da peça serão interpretadas por Chris Couto, Adriana Lessa e Fafy Siqueira, que já fez parte do elenco em 2005. “É um texto que me dá muitas oportunidades, faço as pessoas rirem e se emocionarem com meus vários personagens. Interpreto de puta a mãe de família, passando por velha, adolescente, avó”, diz Fafy, cujo trabalho mais recente na TV foi o papel de Dercy Gonçalves mais velha na minissérie “Dercy de Verdade”. “Como atriz, é um ótimo exercício.Tenho disponibilidade de mostrar várias faces.”

DO SAMBÓDROMO PARA O PALCO

Adriana Lessa será a primeira negra entre as atrizes que compuseram os elencos nacionais. “Queria tanto fazer esse espetáculo, mas nunca era o momento certo, nunca era a hora. Recebi o convite no meio do carnaval e aquela era a hora. Convite recebido, convite aceito”, conta ela, que este ano desfilou pela Vai-Vai no sambódromo de São Paulo, e pela Grande Rio na Sapucaí.
“O texto começa com a própria autora contando o que fez para chegar a essa peça. Foram milhares de entrevistas, com mulheres de 100 países. Falamos sobre muitas formas de agressão contra a mulher, violência doméstica, assédio moral, incesto. Mas tudo com humor, a peça é uma comédia, me divirto muito com as situações”, diz Adriana. “É bacana ter essa oportunidade de ser um agente multiplicador de informação contra a violência contra a mulher.”

Divulgação
Chris Couto, atriz e apresentadora, e a preparadora de elenco Imara Reis
Ficou a cargo da atriz Imara Reis a direção de elenco. “Vou estrear uma peça no começo de abril, mas me especializei em direção de elenco nos últimos tempos, é meu plano B”, diz ela. “O bacana do texto é que fala do que nos difere dos homens, que é a nossa sexualidade. Porque em termos de cérebro, de órgãos, é tudo igual. A peça fala da questão da identidade do feminino, da mulher em si”, explica ela.
E tem também a discussão do desejo feminino. “O homem que tem desejo é considerado um super homem, e a mulher que tem desejo é uma galinha”, constata Imara, que gosta muito do tom do texto de Ensler. “Ela tem uma formação acadêmica muito sólida, se embasou em muitas entrevistas, mas ao mesmo tempo tem mordacidade e muita graça. Tem um olhar arguto, crítico e engraçado sobre o feminino na sociedade.”

VAGINA NO PARLAMENTO EUROPEU

Com relação às atrizes, muito diferentes entre si, inclusive fisicamente, Imara comenta: “Cada uma tem uma formação muito diferente da outra. A Chris e a Adriana já foram apresentadoras, então têm a experiência de ser elas mesmas diante das câmeras, sem o álibi do personagem. Isso traz objetividade para dizer o texto, enquanto a Fafy é a comediante. É uma mescla muito boa.”
Imara contou também, com empolgação, que na tarde desta quarta (7), no Parlamento Europeu, em Bruxelas, nove deputadas fizeram apresentações de textos do “Monólogos da Vagina”, entre gemidos e simulações de orgasmo, como forma de alertar contra a violência contra a mulher, como estupro e mutilação genital.

Serviço:
Monólogos da Vagina
Sexta a domingo, às 21 hs.

Teatro Brigadeiro - Av. Brigadeiro Luís Antonio, nº 884  - Bela Vista. Tel.: (11) 3107- 5774.

    Leia tudo sobre: monólogos da vaginateatroestreia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG