Médico de Michael Jackson terá audiência em janeiro de 2011

Procuradoria de Los Angeles reúne provas para determinar se Conrad Murray vai enfrentar julgamento por homicídio

AFP |

Getty Images
O antigo médico de Jackson, Conrad Murray
Um juiz de Los Angeles fixou para 4 de janeiro a audiência preliminar para determinar se existem provas suficientes para iniciar um julgamento por homicídio involuntário contra Conrad Murray, o médico do músico Michael Jackson no momento de sua morte, em junho de 2009.

O magistrado da Corte Superior de Los Angeles, Michael Pastor, disse que os procuradores têm até janeiro para reunir as evidências necessárias e só então determinará se haverá ou não um julgamento contra Murray.

O médico, de 57 anos, compareceu ao tribunal no centro de Los Angeles, na Califórnia, onde foram também Katherine e Joseph Jackson, os pais do Rei do Pop que anunciaram o divórcio, no fim de semana passado, depois de 60 anos de casamento.

Em junho passado, em outra audiência, um juiz de Los Angeles negou um pedido para suspender temporariamente Murray de suas atividades, depois de uma solicitação do Conselho Médico da Califórnia de inabilitação profissional até a decisão da justiça penal.

Murray foi acusado em fevereiro de homicídio involuntário pela morte de Jackson, em seguida a uma overdose de medicamentos e a uma intoxicação com propofol.

O falecimento foi constatado 20 minutos depois de receber uma injeção de propofol, quando Murray havia se ausentado por alguns minutos para atender um telefonema.

    Leia tudo sobre: morte de michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG