Vencedora do Nobel cancela biografia por achar sua vida desinteressante

Primeira negra a receber o prêmio de literatura, escritora Toni Morrison revela desistência em discurso a estudantes

iG São Paulo |

Getty Images
A escritora norte-americana Toni Morrison
Durante um discurso aos alunos do Oberlin College, em Ohio, nos Estados Unidos, a vencedora do Nobel de Literatura em 1993, Toni Morrison, disse ter cancelado o contrato que previa sua biografia por considerar sua história desinteressante.

Siga o iG Cultura no Twitter

Primeira negra a receber o prêmio e última norte-americana laureada com a distinção, Morrison respondeu a pergunta de um estudante sobre a possibilidade de escrever sobre sua infância humilde na região.

"Meu editor me pediu para escrever [minha biografia], mas eu não acho que minha vida seja interessante para isso. Prefiro escrever ficção", disse a autora.

Nascida em 1931, na cidade de Lorain, em Ohio, a autora teve uma infância pobre como filha de um soldador. "Antes da Segunda Guerra começar meus pais tinha cada vez menos dinheiro, e seus conflitos eram os conflitos que os pobres têm", disse ela em entrevista ao jornal Guardian.

Apontada pelo The New York Times como "o nome mais próximo que a América tem de uma romancista nacional", Morrison ganhou o prêmio Pulitzer em 1987 pelo romance "Amada", história de uma ex-escrava atormentada pela perda de seu filho.

"As pessoas dizem que temos que escrever sobre aquilo que conhecemos. Estou aqui para dizer a vocês que ninguém quer ler sobre isso porque não sabemos nada. Então escreva sobre o que você não sabe. E nunca tenha medo", aconselhou Morrison aos estudantes.

    Leia tudo sobre: toni morrisonnobel de literatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG