Vargas Llosa recebe Nobel de literatura das mãos do rei da Suécia

Cerimônia de gala em Estocolmo prestou homenagem ao escritor peruano

AFP |

AFP
Mario Vargas Llosa recebe o Nobel na Suécia
O escritor peruano Mario Vargas Llosa recebeu, nesta sexta-feira (10), o prêmio Nobel de Literatura das mãos do rei Carl Gustav da Suécia, em cerimônia no Konserthuset (Sala de Concertos) de Estocolmo, na qual esteve acompanhado dos demais premiados, com exceção do Nobel da Paz.

O monarca sueco entregou ao escritor nascido em Arequipa há 74 anos e naturalizado espanhol a medalha com o perfil do criador dos prêmios, Alfred Nobel, que lhe foi atribuída por sua "cartografia das estruturas de poder".

Vestindo fraque, Vargas Llosa – o primeiro Nobel de Literatura de língua espanhola desde o mexicano Octavio Paz, premiado em 1990 – recebeu ainda a confirmação escrita de que 10 milhões de coroas suecas (1,4 milhão de dólares; R$ 2,4 milhão) foram depositadas em sua conta.

O escritor Per Wastberg, membro da Academia Sueca e do Comitê Nobel, foi o encarregado de apresentar o novo Nobel de Literatura à família real e aos 1.400 convidados na cerimônia no belo Konserthuset, ao som do hino nacional sueco e de músicas de Mozart.

"A escrita de Mario Vargas Llosa formou a nossa imagem da América do Sul e tem seu próprio capítulo na história da literatura contemporânea. Em suas primeiras obras, renovou a novela; agora é um poeta não só de estatura latino-americana, mas universal", declarou Wastberg, enquanto Llosa ouvia sentado no palco, ao lado dos demais premiados. "Da provincial cidade de Arequipa, no Peru, emergiu um cidadão do mundo, um marxista que pelos abusos de (Fidel) Castro se tornou um liberal, um candidato perdedor nas eleições presidenciais (do Peru) que aparece agora nos selos do correio de seu país", disse.

O acadêmico sueco elogiou o talento do peruano para "unir a tradição narrativa de Balzac e Tolstoi com os experimentos modernistas de William Faulkner". Ele lembrou, como fez Vargas Llosa em seu discurso de aceitação do Nobel, na terça-feira, que sua rebeldia contra um padre autoritário o levou a se refugiar na literatura e no mundo da imaginação.

"Estimado Mario Vargas Llosa! Você encapsulou a história da sociedade do século 20 em uma bolha de imaginação. Esta se manteve flutuando no ar durante 50 anos e ainda reluz. A Academia sueca te cumprimenta", clamou Wastberg, convidando o escritor a se aproximar para receber o prêmio.

Depois da cerimônia, os premiados com o Nobel e seus convidados participaram de um banquete em sua homenagem, na prefeitura da cidade.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG