Nobel de Literatura cancela sua coluna no periódico peruano El Comercio

selo

Após acusar o El Comercio de parcialidade, o Nobel de Literatura Mario Vargas Llosa encerrou sua coluna
Getty Images
Após acusar o El Comercio de parcialidade, o Nobel de Literatura Mario Vargas Llosa encerrou sua coluna
O escritor peruano Mario Vargas Llosa cancelou a coluna que mantinha no jornal El Comercio, acusando o veículo de ter se convertido em uma "máquina" de propaganda da campanha de Keiko Fujimori à presidência do Peru.

Vargas Llosa, vencedor do Nobel de Literatura 2010, disse que o diário tem afrontado "as mais elementares noções de objetividade e da ética jornalística" com a intenção de prejudicar a candidatura de Ollanta Humala.

Em uma carta dirigida à direção do El Comercio, o escritor afirmou que o jornal "silencia e manipula a informação, distorce os fatos, abre suas páginas para mentiras e calúnias que possam prejudicar o adversário (Humala)". De acordo com ele, os jornalistas que não concordam com a intenção do veículo estão sofrendo intimidações e demissões como represálias.

"Não posso permitir que minha coluna Pedra de Toque continue aparecendo nessa caricatura do que deve ser um órgão de expressão genuinamente livre, pluralista e democrático", afirmou Vargas Llosa, pedindo que o jornal espanhol El País, responsável pela distribuição de suas colunas em muitos países, cancele sua colaboração no El Comercio.

O escritor já havia declarado publicamente seu apoio à candidatura de Humala no segundo turno das eleições presidenciais peruanas, marcado para o domingo. Segundo ele, um grupo de acionistas do El Comercio que apoia Keiko tomou controle dos jornais e canais de televisão do grupo. A emissora América TV, considerada a mais importante do Peru, está entre os veículos do grupo de comunicação.

Até noite de ontem, El Comercio não havia comentado as acusações de Vargas Llosa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.