Paulo Coelho declara apoio à pirataria de livros

Autor ajuda a promover site de downloads e diz que "quanto mais pessoas piratearem um livro, melhor"

iG São Paulo |

Assinando como "The Pirate Coelho" (O Pirata Coelho, em português), o escritor Paulo Coelho declarou seu apoio ao site de troca de arquivos Pirate Bay. Para o brasileiro, "quanto mais pessoas piratearem um livro, melhor".

Siga o iG Cultura no Twitter

O escritor, que já havia defendido o download gratuito de suas obras, pois ajudaria a venda de seus livros, escreveu em seu blog (em inglês) que outros artistas deveriam participar do sistema de promoção do site.

"Você tem uma banda? É aspirante a produtor de cinema? Comediante? Cartunista? Eles [o Pirate Bay] podem substituir sua página inicial com um link do seu trabalho", disse.

E continuou: "Sejam bem-vindos e baixem meus livros de graça. Se vocês gostarem, comprem uma cópia original - é dessa forma que diremos à indústria que a ganância não leva a lugar algum."

No mês passado, Coelho se posicionou contra os projetos de lei norte-americanos SOPA (Stop Online Piracy Act) e PIPA (Protect IP Act) , criados para combater sites que distribuem ou vendem produtos piratas na internet e violam direitos de propriedade intelectual. Nas palavras do autor, os projetos são "um perigo real, não apenas aos americanos, mas para todos".

A relação de Coelho com a pirataria se estreitou em 1999, quando uma versão russa de seu best-seller "O Alquimista" aumentou as vendas da obra no país, ultrapassando o milhão de cópias vendidas.

    Leia tudo sobre: paulo coelholiteraturaSOPAinternetpirataria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG