Descanse em Paz mergulha na fantasia e recria suspiros finais de grandes da literatura" / Descanse em Paz mergulha na fantasia e recria suspiros finais de grandes da literatura" /

Os últimos dias de Poe e Hemingway

Descanse em Paz mergulha na fantasia e recria suspiros finais de grandes da literatura

Milly Lacombe, especial para o iG Cultura |

Li com enorme prazer Descanse em paz , livro da escritora e roteirista americana Joyce Carol Oates, 72 anos, lançado agora no Brasil pela Leya ( Wild Nights! , com a exclamação, é o titulo original).

Oates, de forma exuberante, mergulha em um mundo de fantasias para recriar os últimos dias da vida de grandes escritores já falecidos. Ideia original e que acaba funcionando muito bem porque ela usa como pano de fundo informações verdadeiras e curiosas sobre a personalidade e a circunstância da morte dos autores em questão.

Entre todas as histórias, a da poetisa Emily Dickinson (1830-1886) é a mais inusitada e se passa em um tempo futuro, no qual replicantes vivem entre nós. Nesse cenário, um replicante de Dickinson vai morar na casa de um tradicional casal novaiorquino, chacoalhando, ainda que acidentalmente, a banalidade de suas vidas.

Conhecer um pouco da circunstância da morte dos autores retratados no livro confere ainda mais riqueza ao texto de Oates.

Divulgação
Em miúdos

- O que
Descanse em Paz – histórias sobre os últimos dias de Poe, Dickinson, Twain, James, e Hemingway , de Joyce Carol Oates (Leya, 233 páginas)

- Por que
Pela inventividade das histórias que não são reais, embora a capa e a orelha do livro relevem essa informação, que está disponível apenas na quarta capa.

- Como
Oates arma-se de traços da personalidade dos autores que pretende retratar e permite-se criar histórias fictícias sobre os últimos dias de vida de cada um deles.

- Velocidade da leitura
Rápida. Possível até de ser lido em uma sentada. Mas pode arriscar e começar antes de dormir – o livro, embora muito bom, não é desses que se faz impossível de ser abandonado, até porque as histórias são curtas.

- Trecho
“Quando a EDickinsonRepliLuxe foi entregue na casa dos Krims, desembalada e colocada na posição vertical, a pretensa mulher de trinta anos mais parecia uma subnutrida menina de dez ou onze que mal alcançava os ombros da esposa. Embora os Krims tivessem visto que até mesmo Babe Ruth tivera seu tamanho reduzido, de alguma forma não estavam preparados para que sua companheira-poetisa parecesse tão raquítica. Era como se o RepliLuxe tivesse sido moldado a partir do único daguerreótipo disponível da poetisa, tirado quando ela era ainda muito jovem, aos dezesseis anos. Seus olhos eram grandes, escuros e estranhamente sem cílios. Sua pele tinha uma palidez de mármore e era macia como um papel. Suas sobrancelhas eram maiores do que se esperava, mais pesadas e mais definidas, como as de um menino. (...) O Menu trazia inúmeras opções e ele começou a martelar os números com impaciência (...). ‘Como é que esta droga desliga ...’ ”

- Preço
R$ 45

    Leia tudo sobre: Joyce Carol Oatesdescanse em paz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG