Nova biografia de Charles Chaplin

Livro de Stephen Weissmam revela detalhes sórdidos sobre sua mãe, Hannah Chaplin

iG São Paulo |

Divulgação
Capa do livro Chaplin - Uma Vida
Charles Chaplin morreu em 1977. Bem antes disso, já era possível encontrar nas livrarias algumas biografias sobre o ator. Atualmente, o número total de títulos que tratam sobre sua vida chega a milhares. A pergunta que se faz, portanto, é: o que a biografia Chaplin - Uma Vida , de Stephen Weissman, lançada neste ano pela Larousse, poderia trazer de novo ou acrescentar sobre a vida do ator? A resposta é: detalhes sórdidos sobre Hannah Chaplin, a mãe dele.

Já era de conhecimento público que a mãe de Chaplin teria enlouquecido quando ele tinha 15 anos. O que não se sabia, até então, é que ela teria se apaixonado por um suposto milionário e viajado com ele para a África do Sul. Lá, descobriu que havia sido enganada e acabou sendo obrigada a se prostituir, contraindo sífilis. A informação não foi jogada ao acaso apenas para criar um factoide ou vender livros. Se no começo da pesquisa a família queria processar Weissman com os dados apresentados, após lerem a obra finalizada os integrantes do clã Chaplin mudaram de ideia. A filha dele, Geraldine, assina a introdução, lembrando como o pai contou que a avó dela havia morrido de sífilis.

Seria impossível resumir nas 304 páginas do livro os 88 anos de vida de Chaplin. Como o autor explica, a biografia foca na conexão psicológica entre a vida pessoal do genial ator e diretor e seus personagens. Weissman é formado em psiquiatria e autor de livros sobre o tema. Em sua análise, além de falar sobre a doença da mãe de Chaplin, ele mostra como fatos da infância do artista o ajudaram a criar seus personagens.

Um bom exemplo é quando um jovem acaba de ficar órfão e é levado em uma carroça, em Tempos Modernos . A cena, segundo Weissman, foi inspirada em um fato que aconteceu com Chaplin, que, aos 7 anos, foi separado da mãe e levado, em uma carroça, até um orfanato. O alcoolismo do pai também é abordado. Foi inspirado no andar cambaleante de seu pai que ele criou o personagem de Adorável Vagabundo . Como escreve o autor do livro, é difícil dizer como seria a vida do artista se ele não tivesse passado por tantas dificuldades. Certo é que Chaplin não teria sido quem foi se sua vida tivesse sido mais fácil.

    Leia tudo sobre: Charles ChaplinStephen Weissman

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG