Morre o poeta chileno Gonzalo Rojas

Autor de "Qué se ama cuando se ama" e "La miseria del hombre" tinha 93 anos e sofreu um derrame

EFE |

EFE
O poeta chileno Gonzalo Rojas
O poeta chileno Gonzalo Rojas, Prêmio Cervantes de Literatura em 2003, morreu nesta segunda-feira, aos 93 anos, após permanecer em estado grave durante mais de dois meses por causa de um acidente vascular cerebral, informou sua família à Radio Cooperativa.

A saúde do escritor se agravou em 22 de fevereiro, quando sofreu um derrame cerebral. Em 12 de março, o autor de "Qué se ama cuando se ama" e "La miseria del hombre", entre outras obras, foi levado de sua casa em Chillán, a cerca de 400 quilômetros ao sul de Santiago, até a capital, para garantir a ele uma maior proximidade de sua família e mais cuidados médicos.

O escritor morreu às 06h15 no horário local em um centro hospitalar de Santiago. Gonzalo Rojas-May, filho do poeta, disse nesta segunda-feira que a família recebeu a notícia com tranquilidade. Ele relatou que o poeta viveu a vida de forma intensa e lembrou qu,e inclusive depois da pneumonia que sofreu em setembro, da qual se "recuperou surpreendentemente", se manteve muito ativo e com muitos projetos.

"Foi realmente um privilégio para nós que pudemos aprender a ver e a ler o mundo com ele", disse Rojas-May. Nascido em 17 de dezembro de 1917 em Lebu, a 660 quilômetros ao sul de Santiago, Gonzalo Rojas era considerado um dos poetas mais importantes do Chile das últimas décadas.

    Leia tudo sobre: Gonzalo Rojas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG