Autor estava internado há mais de dois meses num hospital por problemas respiratórios

O cronista e ensaísta mexicano Carlos Monsiváis morreu neste sábado aos 72 anos, depois de mais de dois meses internado em um hospital da capital mexicana por problemas respiratórios, informou à Agência EFE uma fonte oficial. Um porta-voz da Secretaria de Saúde informou sobre a morte de Monsiváis, que ocorreu entre 13h e 14h (hora local, 15h e 16h de Brasília).

Monsiváis tinha sido internado em um hospital no sul da capital mexicana, no começo de abril por causa de problemas respiratórios. O escritor é autor de obras como Dias de Guardar e Amor Perdido . Nascido na Cidade do México no dia 4 de maio de 1938, estudou na Escola de Economia e na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade Nacional Autônoma do México.

Era um escritor prolífico, de agudeza intelectual, por isso que era considerado como um indispensável analista da vida nacional. Monsiváis ganhou vários reconhecimentos e o mais recente lhe foi outorgado pelo Conselho Cidadão do Prêmio Nacional de Jornalismo, no dia 12 de maio, quando tinha estava há mais de um mês hospitalizado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.