Morre em Paris o escritor Jorge Semprún

Ex-ministro da Cultura da Espanha e autor de obras como "A Grande Viagem", Semprún tinha 87 anos

iG São Paulo com agências EFE e AFP |

AFP
Jorge Semprún
O escritor espanhol e ex-ministro da Cultura Jorge Semprún morreu nesta terça-feira em Paris aos 87 anos, informou à Agência EFE o Ministério da Cultura da Espanha. Semprún morreu em sua casa, acompanhado de seus filhos e de seus sobrinhos, segundo afirmaram à EFE fontes de sua família. Ainda não foi anunciado o local do enterro, mas, segundo as mesmas fontes, será "quase com certeza em território francês".

O escritor foi uma figura relevante na literatura e na política com uma impressionante trajetória pessoal e profissional. Nascido em 10 de dezembro de 1923 em Madri, mudou-se para a Holanda com o início da Guerra Civil e, terminado o conflito, se exilou com a família em Paris.

Semprún ingressou no Partido Comunista da Espanha e fez parte da Resistência francesa. Foi preso pela Gestapo, a polícia secreta nazista, e deportado em 1943 ao campo de concentração de Buchenwald, na Alemanha, onde permaneceu 16 meses, experiência refletida em vários livros.

No cinema, destacou-se com roteiros como o elaborado para os filmes "Z" e "A Confissão", de Costa-Gravas. Construiu sua obra literária com base nas lembranças de sua juventude. Sua experiência de vida marcaram algumas de suas principais obras literárias como "A Grande Viagem".

Entre seus principais livros editados no Brasil estão também "A Segunda Morte de Ramón Mercader" (1969) e "A Algaravía" (1981).

Na política espanhola foi ministro da Cultura durante o governo do presidente Felipe González. Semprún se casou com a atriz Loleh Bellon, mãe de seu filho Jaime, que também é escritor, e depois com Colette Leloup, com quem teve seu filho Dominique.

    Leia tudo sobre: Jorge Semprún

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG