Monroe, Gable e Clift: o drama de três astros em uma filmagem

Livro reúne fotos feitas pela agência Magnum durante a gravação de "Os Desajustados"

EFE |

Divulgação
Clift, Monroe e Gable nas filmagens de "Os Desajustados"
Três grandes estrelas - Marilyn Monroe, Clark Gable e Montgomery Clift -, um diretor não menos famoso - John Huston - e a melhor agência de fotografia do mundo - Magnum - estavam juntos na filmagem de "Os Desajustados" (1961) e esse resultado pode ser visto agora em um livro com 200 fotos fantásticas. Nada menos que Henri Cartier-Bresson, Eve Arnold, Bruce Davidson, Elliott Erwitt, Ernst Haas, Cornell Capa, Inge Morath, Erich Hartmann e Dennis Stock foram os responsáveis pela cobertura de uma gravação cheia de problemas procedentes tanto dos cenários escolhidos por Huston quanto das circunstâncias pessoais de seus intérpretes.

Uma situação que fica magnificamente organizada nas imagens reunidas de "The Misfits. Story of a Shoot" ("Os Desajustados. A História de uma Filmagem", em tradução livre) que chegará em maio na América Latina em sua versão em inglês. Um livro que resume em 200 imagens o esgotamento de Marilyn Monroe, a crise com o então marido Arthur Miller - naquele tempo roteirista do filme -, a fragilidade física de Clark Gable e a inevitável decadência de Monty Clift. Fotografias em preto e branco capazes de expressar o abalo de atores que transferiram para seus personagens todo o peso existencial que os afligia na época da rodagem. E acompanhadas de textos do diretor da Filmoteca Francesa e ex-diretor da revista "Cahiers du cinema", Serge Toubiana. Também tem incluída uma entrevista com Arthur Miller, que conta como decidiu escrever o roteiro depois que sua mulher sofreu um aborto em 1957 - que a impediria de ficar grávida novamente - e para que pudesse mostrar aos chefes dos grandes estúdios seu talento para os personagens mais dramáticos.

Embora o papel de Roslyn, a jovem divorciada que se transforma em objeto de desejo de todos os personagens masculinos da história - e sim, demonstrou o talento de Marilyn - a gravação do filme serviu para evidenciar a enorme distância que o casal vivia na época. Uma foto de Bruce Davidson mostra a atriz sentada, enquanto retocam seu penteado, e ao seu lado um Arthur Miller com olhar vazio, ausente, totalmente alienado do que ocorre ao seu redor. Imagens que demonstram a separação do casamento. E outras que incidem na fragilidade da atriz, como a que mostra uma Marilyn Monroe exausta dormindo em uma cama improvisada, ao sol, no meio da filmagem, e a que a exibe, concentrada e sozinha, no deserto, se preparando para o papel.

Marilyn é sem dúvida a protagonista de um livro, assim como foi no filme, onde viveu um espírito rebelde, como lembra a fotógrafa Inge Morath: "Era claramente visível que Marilyn estava causando problemas. Sempre chegava tarde, o que não era divertido para os demais, e o filme estava atrasando muito. Mas quando chegava, todos ficavam encantados de vê-la!". "Tomava remédios para dormir e para despertar de manhã. Parecia estar desnorteada na metade do tempo. Mas quando era ela mesma, podia ser maravilhosamente competente. Não estava atuando, não simulava as emoções, era algo real", em palavras de Huston.

Apenas 19 meses depois, a atriz americana morria em circunstâncias ainda não esclarecidas. Não teve tempo para finalizar o filme seguinte, por isso que "Os Desajustados" fica para a história como sua última obra. Foi também o último filme de Clark Gable que sofreu um infarto e faleceu dez dias após o fim das filmagens, no dia 16 de novembro de 1961. A rodagem foi fisicamente muito dura para o veterano ator, como mostram algumas das fotos do livro. Embora teve momentos tranquilos com Marilyn, seu cansaço vital se refletia em fotos como a tirada por Eve Arnold, com um primeiro plano de um Gable exausto com seu cavalo ao fundo.

Montgomery Clift também não ficou livre dos problemas. O terceiro protagonista do filme teve sua participação a perigo já que a companhia de seguros não queria incluí-lo na filmagem. No entanto, Huston conseguiu que fosse aceito e, apesar dos problemas do ator com bebidas e drogas, sua parte se desenvolveu em uma "anormal normalidade". Apesar de ser aparentemente o mais frágil, Clift sobreviveu a seus dois companheiros, embora não por muito tempo. Faleceu em julho de 1966. Uma filmagem árdua, que foi realizada no deserto de Nevada, sob condições bastante incomuns para três estrelas que marcaram uma época e que respondiam com bastante exatidão ao título do longa. Porque poucas vezes o título de um filme refletiu também não só a história narrada, mas inclusive os atores que a interpretaram: "The Misfits", o título original, é, literalmente, "Os Desajustados".

    Leia tudo sobre: FRANÇACINEMA (Crônica)

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG