Livro desvenda o mistério do "trem da morte"

Com relatos de envolvidos em sua construção e operação, jornalista conta história da ferrovia

iG São Paulo |

Divulgação
Capa de "As Vozes de uma Lenda – da fronteira ao oeste"
Movida pela curiosidade, a jornalista colaboradora do iG Thaís Sabino embarcou em 2009 para a cidade de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, determinada a descobrir não apenas a história do "trem da morte", mas o real motivo de sua má fama.

Dos registros dessa aventura surgiu o livro "As Vozes de uma Lenda – da fronteira ao oeste", que resume as seis horas de gravações com depoimentos de pessoas envolvidas na construção e operação do trem cujo destino final é a cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra.

"Comecei a colher os depoimentos em Corumbá, na Vila Ferroviária, local construído para abrigar os trabalhadores que construíram a linha e que até hoje vivem por lá. Dali foram 22 horas de viagem até a Bolívia", conta Thaís.

No caminho, além de descobrir que o trajeto é menos perigoso do que imaginava, a jornalista atribuiu à falta de infra-estrutura dos vilarejos em que se localizam suas paradas os riscos de assalto ou acidentes.

"Na viagem o trem ficou parado por duas horas no meio da noite e sem iluminação. Perguntei ao maquinista o que ocorreu e ele explicou que o trem havia descarrilado e ele estava aguardando o conserto", conta.

Entre os depoimentos colhidos estão histórias que envolvem a morte de operários durante a construção, ataques indígenas, assassinatos nas estações, acidentes suspeitos e até maneiras curiosas que os traficantes utilizavam para transportar drogas na linha.

"As Vozes de uma Lenda – da fronteira ao oeste" tem seu lançamento marcado para este sábado, 02 de julho, às 17h, na Livraria da Vila, localizada a Al. Lorena, 1731, em São Paulo.

    Leia tudo sobre: trem da morte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG