HQs para adultos e crianças

Com livrarias especializadas e clientela ávida por novidades, Rue Dante reafirma a tradição francesa em histórias em quadrinhos

Léo Ramos |

Ao contrário do que muitos tendem a pensar, as histórias em quadrinhos vão muito além das tirinhas publicadas em jornais ou gibis infantis. Apesar do volume de publicações voltadas para crianças, são os adultos os responsáveis por financiar o nicho consumindo graphic novels americanas, mangás japoneses ou álbuns europeus. Se no Brasil o espaço destinado aos desenhos em sequência é pequeno, e, muitas vezes, nulo, na Europa a situação é bem distinta.

Em sua criação, na Suíça, em 1837, era difícil prever o sucesso daquela que viria a chamar-se de “nona arte”, que hoje correspondo a um setor que movimenta 500 milhões de dólares por ano.

A reportagem iG passou uma tarde conhecendo livrarias especializadas em “bandes dessinées” - maneira como os países francófonos chamam as histórias em quadrinhos - da Rue Dante, uma pequena rua da cidade de Paris.

Títulos de ficção científica, westerns, eróticos e, claro, aventura são procurados diariamente na livraria Album, la référnce BD, que fica no 84, Boulevard St-Germain, esquina com a Rue Dante. O espaço vende histórias do jornalista aventureiro Tintim e do famoso pistoleiro Luck Luck – o homem que atira mais rápido do que sua própria sombra!

Além dos personagens europeus, as lojas especializadas da França oferecem ao público centenas de mangás sangrentos produzidos pelos orientais - febre que encontrou fãs em todo o mundo.

Mas a visita às livrarias revela um lado muitas vezes ignorado desse mercado: os souvenires. Junto das BD de diferentes estilos encontram-se camisetas, bonecos, chaveiros, entre outras lembranças. Os cartões postais com as mulheres de Milo Manara - atualmente de passagem pelo Brasil - e canetas do Homem-Aranha são itens bastante procurados pela fiel clientela.

Na conhecida aventura de "Asterix e Cleópatra", a recriação de uma cena com bonequinhos custa 130 euros, pouco mais que R$300,00.

    Leia tudo sobre: histórias em quadrinhos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG