Correspondência data de 1820, um ano antes da morte do escritor inglês

Uma carta de amor escrita pelo poeta John Keats para Fanny Brawne, seu grande amor, em 1820, um ano antes de sua morte, foi vendida por 110.000 euros (R$ 253 mil), um recorde para um escrito do poeta, segundo a casa londrina Bonhams.

Keats escreveu a carta em sua casa de Hampstead, em Londres, onde era vizinho de Fanny Brawne. O poeta se descreve como "um pobre prisioneiro" que não pode "cantar em uma jaula": a tuberculose o impedia de abraçar a jovem.

Keats morreu em Roma, aos 25 anos. A história de amor com Fanny Brawne é contada no filme "Brilho de uma Paixão", de Jane Campion (2009), que retoma o título ("Bright Star") de um de seus poemas mais conhecidos.

O filme cita a pequena carta escrita às pressas por Keats, já muito doente. No verso desta, ele escreveu para Fanny: "é melhor não vir hoje". A cidade de Londres adquiriu a carta para expô-la na casa de Keats em Hampstead, onde um pequeno museu reconstitui o universo do poeta.

"Esta carta, além de outros objetos exibidos na casa de Keats, ajudará os visitantes a entender melhor a vida de Keats e suas paixões que o levaram a produzir um trabalho tão maravilhoso", declarou Michael Welbank, diretor do comitê que administra a casa do poeta. As cartas de Fanny Brawne para Keats foram enterradas com o poeta, após a sua morte por tuberculose em Roma, em 23 de fevereiro de 1821.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.