Carta de amor do poeta John Keats é vendida por R$ 253 mil

Correspondência data de 1820, um ano antes da morte do escritor inglês

AFP |

Uma carta de amor escrita pelo poeta John Keats para Fanny Brawne, seu grande amor, em 1820, um ano antes de sua morte, foi vendida por 110.000 euros (R$ 253 mil), um recorde para um escrito do poeta, segundo a casa londrina Bonhams.

Keats escreveu a carta em sua casa de Hampstead, em Londres, onde era vizinho de Fanny Brawne. O poeta se descreve como "um pobre prisioneiro" que não pode "cantar em uma jaula": a tuberculose o impedia de abraçar a jovem.

Keats morreu em Roma, aos 25 anos. A história de amor com Fanny Brawne é contada no filme "Brilho de uma Paixão", de Jane Campion (2009), que retoma o título ("Bright Star") de um de seus poemas mais conhecidos.

O filme cita a pequena carta escrita às pressas por Keats, já muito doente. No verso desta, ele escreveu para Fanny: "é melhor não vir hoje". A cidade de Londres adquiriu a carta para expô-la na casa de Keats em Hampstead, onde um pequeno museu reconstitui o universo do poeta.

"Esta carta, além de outros objetos exibidos na casa de Keats, ajudará os visitantes a entender melhor a vida de Keats e suas paixões que o levaram a produzir um trabalho tão maravilhoso", declarou Michael Welbank, diretor do comitê que administra a casa do poeta. As cartas de Fanny Brawne para Keats foram enterradas com o poeta, após a sua morte por tuberculose em Roma, em 23 de fevereiro de 1821.

    Leia tudo sobre: literatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG