Mais acessível, Flip 2014 recebe 47 autores de 15 nacionalidades

Por Maria Carolina Gonçalves , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Cartunista Millôr Fernandes é o homenageado desta edição; Gal Costa faz o show de abertura

Tem início nesta quarta-feira (30) e vai até domingo a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Desde seu início, em 2003, a Flip convida destaques nacionais e estrangeiros para debater literatura, sempre com um escritor homenageado. Em 2014, é a vez de Millôr Fernandes.

A opção por Millôr, que morreu em 2012, é inédita. Em anos anteriores, eram homenageados escritores mortos há muito tempo e já consagrados, como Machado de Assis e Guimarães Rosa. "É uma construção que nós estamos fazendo, participando da consagração de Millôr", afirma ao iG Paulo Werneck, curador da Flip 2014.

Jorge Rosenberg/iG
Show de Gal Costa na Virada Cultural

Tendo acompanhado todas as edições anteriores, como espectador ou como filho de convidado (seu pai é o jornalista Humberto Werneck), o editor e jornalista prezou por garantir o acesso ao público e por evitar as figurinhas repetidas. "Procurei apresentar novos escritores."

E novos temas também, como a antropologia, presente em duas mesas neste ano. Uma delas traz, pela primeira vez, a presença de um líder Yanomami. "A Flip não se propõe ser uma festa só de ficção, mas uma mistura de todas as ciências", diz Werneck.

Veja a programação principal.

Reprodução
A programação da Flip 2014

É de graça?
A cantora Gal Costa abre o evento nesta quarta-feira e, pela primeira vez, o show de abertura será gratuito. A apresentação começa às 21h30, após a conferência de abertura. Gal canta as músicas de "Recanto", seu disco mais recente. O show será na tenda da Flipinha.

Além do show, um telão instalado na praça permitirá livre acesso do público ao conteúdo das mesas literárias. "É uma ação que visa à democratização da festa. Nunca foi só para quem está dentro da tenda", explica Werneck.

Divulgação/Flip
Autorretrato de Millôr Fernandes

O guru do Méier

O homenageado do ano já esteve na Flip. Millôr Fernandes foi um dos autores convidados na primeira edição, em 2003.

O processo de escolha, tanto do homenageado quanto dos autores que participam da festa, é feito a partir da consulta a escritores, apoiadores da Flip e pessoas que já fizeram parte da história do evento de alguma forma. "Quanto mais se apresentava Millôr, mais adesão a ideia tinha", conta Werneck.

O curador explica que alguns convidados foram grandes companheiros de Millôr, como os cartunistas Jaguar, Claudius e Cássio Loredano. E há os que Werneck considera "millorianos", como Glenn Greenwald (Estados Unidos) e Graciela Mochkofsky (Argentina). “Como Millôr no Brasil, são pedras no sapato do poder em seus respectivos países”, diz.

Outra novidade é o Daily Millôr, um jornal diário da exposição da Casa da Cultura, com participação de nomes como Luis Fernando Verissimo e Antonio Prata. A publicação circulará durante todo o evento.

Quem vem?

São 47 autores convidados, de 15 nacionalidades diferentes. A Rússia tem seu primeiro representante na Flip, Vladímir Sorókin.

Werneck ressalta o caráter multicultural da programação: "As mesas misturam Nova Zelândia, Índia, África do Sul, Portugal, França. Nascem coisas muito interessantes dessa mistura".

Quem não vem?

Werneck entrou em contato com o escritor italiano Dario Fo, Nobel de Literatura. “Um Millôr italiano, muito divertido”, comenta. No entanto, os mais de 90 anos tornariam a viagem transatlântica arriscada à saúde do autor.

O peruano Daniel Alarcón chegou a cancelar sua participação. A curadoria convidou mais um autor e reorganizou a programação. Quando Alarcón voltou atrás, foi incluído novamente entre os convidados. Quem saiu ganhando foi o público, com uma mesa-bônus, na quinta-feira (31), às 21h30.

Divulgação/Flip
A Flipinha traz leitura e diversão para as crianças

Para todos os públicos

Os adultos que visitarem a Flip não precisam deixar as crianças em casa. A Flip desenvolve atividades voltadas às crianças, na Flipinha, e aos jovens, na FlipZona.

Para os adultos, a FlipMais traz uma série de atividades além da programação principal.


Cidade em obras

A Associação Casa Azul é responsável pela realização da Flip e organiza atividades voltadas à literatura durante todo o ano. Grande parte dos moradores de Paraty envolvem-se no evento e contribuem para que tudo ocorra dentro do planejado.

Nos últimos meses, a Prefeitura tem empreendido ações para favorecer o turismo na região. Recentemente, Paraty recebeu recursos do Governo para a construção de um centro cultural de eventos na cidade.

Leia tudo sobre: fliplivrosliteratura

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas