Morre o escritor Rubem Alves

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Professor e teólogo tinha 80 anos e lançou mais de 120 livros, a maioria sobre religião e educação

O escritor Rubem Alves morreu às 11h50 deste sábado (19), aos 80 anos, vítima de falência de órgãos múltiplos. O autor estava internado desde 10 de julho no Hospital Centro Médico de Campinas, interior de São Paulo, para tratamento de uma pneumonia.

O velório será realizado no plenário da Câmara Municipal de Campinas a partir das 19h deste sábado.

Além de escritor, Alves era educador, teólogo, psicanalista e professor. Lançou mais de 120 livros, a maioria sobre religião e educação, além de uma série de obras infantis.

O escritor Rubem Alves. Foto: Divulgação/Site OficialO escritor Rubem Alves. Foto: Divulgação/Site OficialO escritor Rubem Alves. Foto: Divulgação/Site OficialO escritor Rubem Alves. Foto: Divulgação/Site OficialO escritor Rubem Alves. Foto: Divulgação/Site Oficial

A editora Planeta emitiu comunicado sobre Alves: "A Editora Planeta do Brasil sente a perda de uma pessoa que nasceu para transmitir sabedoria e conhecimento. Rubem Alves era muito mais que escritor, ele era um sábio, um filósofo que compartilhou textos, experiências e caminhos para sermos felizes e entendermos um pouco mais da vida. Nossos profundos sentimentos à família, aos amigos e para todos os seus fãs e leitores".

Nascido em 15 de setembro de 1933 em Boa Esperança, no sul de Minas Gerais, Alves estudou teologia no seminário evangélico Presbiteriano do Sul. Tornou-se pastor de uma comunidade presbiteriana no interior de Minas, mas afastou-se no fim da década de 1960, dedicando-se à carreira acadêmica.

De 1969 a 1974, foi professor da Faculdade de Filosofia de Rio Claro, no interior paulista. Em seguida, ingressou no Instituto de Filosofia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde permaneceu até a aposentadoria, nos anos 1990.

Divulgação
O escritor Rubem Alves

Siga o iG Cultura no Twitter

Recebeu o título de professor emérito da Unicamp e também o de cidadão honorário de Campinas, onde vivia. Na cidade, criou o Instituto Rubem Alves, associação sem fins econômicos voltada a programas educacionais.

Alves também estudou Psicanálise, concluindo a graduação na década de 1980 e mantendo sua própria clínica até 2004. Na literatura, tinha entre seus autores favoritos Friedrich Nietzsche, T.S. Eliot, Guimarães Rosa, José Saramago, Fernando Pessoa, Adélia Prado e Manoel de Barros.

Entre seus livros mais famosos estão "Protestantismo e Repressão", "Filhos do Amanhã" e "Da Esperança". Suas obras foram publicadas em idiomas como inglês, francês, italiano, espanhol, alemão e romeno.

Em texto publicado em seu site, ele escreveu: "Já tive medo de morrer. Não tenho mais. Tenho tristeza. A vida é muito boa. Mas a Morte é minha companheira. Sempre conversamos e aprendo com ela. Quem não se torna sábio ouvindo o que a Morte tem a dizer está condenado a ser tolo a vida inteira."

Leia tudo sobre: rubem alvesliteratura

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas