Personagem do cartunista argentino Quino estreou em uma publicação semanal em setembro de 1964

Reuters

O renomado cartunista Joaquín Salvador Lavado, mais conhecido como Quino, criador da personagem "Mafalda", foi escolhido como ganhador do Prêmio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades, segundo divulgou o júri em Oviedo, capital da província espanhola das Astúrias.

O cartunista argentino Quino, criador da personagem Mafalda
Getty Images
O cartunista argentino Quino, criador da personagem Mafalda

Nascido na Argentina, Quino obteve fama internacional como autor das tiras protaganizadas por Mafalda, uma menina que descobre a complexidade do mundo a partir do olhar infantil e que este ano completa 50 anos de existência.

"As lúcidas mensagens de Quino continuam atuais por ter combinado com sabedoria a simplicidade no traço do desenho com a profundidade de seu pensamento", disse a ata do júri.

Siga o iG Cultura no Twitter

"A obra de Quino trás consigo um enorme valor educativo e foi traduzida para muitos idiomas, o que revela sua dimensão universal. Suas personagens transcendem qualquer limite geográfico, de idade e condição social."

Filho de pais andaluzes que migraram para a Argentina, Quino descobriu sua vocação graças a seu tio Joaquín Tejón, pintor e ilustrador gráfico, e começou os estudos em Belas Artes aos 13 anos, logo abandonando-os para se dedicar às histórias em quadrinhos de humor.

Mafalda estreou em Buenos Aires na publicação semanal Primera Plana em 29 de setembro de 1964 e seis anos depois a irônica menina chegaria à Europa pelas mãos de Umberto Eco, outro ganhador do Prêmio Príncipe das Astúrias.

Apesar de seu sucesso, Quino deixou de desenhar Mafalda em 1973, mas o interesse pelo humor inteligente, irônico e inconformado de suas historinhas continua grande até hoje.

Quino seguiu escrevendo e desenhando, mas seu humor se tornou mais ácido e voltado para um público mais adulto.

Joaquín Salvador Lavado é o terceiro nome anunciado entre os oito prêmios Príncipe das Asturias que vão ser entregues este ano. Os outros já anunciados foram o arquiteto norte-americano Frank Gehry e o historiador francês Joseph Pérez, que receberam os prêmios de Artes e Ciências, respectivamente.

Cada um dos vencedores da premiação, entregue pela primeira vez em 1981, vai receber 50 mil euros e uma escultura concebida por Joan Miró como símbolo do prêmio.

Os prêmios serão entregues no segundo semestre em uma cerimônia do teatro Campoamor, em Oviedo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.