"O Sonâmbulo Amador", de José Luiz Passos, ganha Prêmio Portugal Telecom

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

"Sentimental", de Eucanaã Ferraz, venceu como livro de poesia, enquanto "Essa Coisa Brilhante que É a Chuva", de Cintia Mosocvich, foi premiado na categoria contos

O livro "O Sonâmbulo Amador", de José Luiz Passos, foi o principal vencedor da 11ª edição do Prêmio Portugal Telecom de Literatura. A obra ficou com o primeiro lugar na categoria romance e levou ainda o Grande Prêmio.

Os outros ganhadores da premiação foram "Sentimental", de Eucanaã Ferraz, escolhido o melhor entre as obras de poesia, e "Essa Coisa Brilhante que É a Chuva", de Cíntia Moscovich, como o melhor livro de contos.

Siga o iG Cultura no Twitter

Divulgação
O escritor José Luiz Passos durante a Flip 2013

A premiação aconteceu na noite de quarta-feira (4) no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, e foi apresentada pelos atores Camila Morgado e Matheus Nachtergaele.

Cada ganhador receberá R$ 50 mil - José Luiz Passos foi premiado com R$ 100 mil por ter ganhado em duas categorias.

"O Sonâmbulo Amador" é o segundo livro de José Luiz Passos e conta a história de um funcionário da indústria têxtil pernambucana que é internado em uma clínica psiquiátrica. Seus sonhos se misturam a acontecimentos políticos do final da década de 1960.

Pernambucano, José Luiz Passos nasceu em 1971 e atualmente vive em Los Angeles (EUA), onde é professor na Universidade da Califórnia.

Os finalistas

Para cada categoria, havia quatro obras competindo. Em romance, estavam na disputa Miguel Sanches Neto ("A Máquina de Madeira"), Daniel Galera ("Barba Ensopada de Sangue"), Valter Hugo Mãe ("O Filho de Mil Homens") e José Luiz Passos ("O Sonâmbulo Amador").

Já em poesia os nomes eram Paulo Henriques Britto ("Formas do Nada"), Antonio Cícero ("Porventura"), Eucanaã Ferraz ("Sentimental") e Angélica Freitas ("Um Útero é do Tamanho de um Pulso").

E os finalistas da categoria conto/crônica foram Noemi Jaffe ("A Verdadeira História do Alfabeto"), Cíntia Moscovich ("Essa Coisa Brilhante que é a Chuva"), Tércia Montenegro ("O Tempo em Estado Sólido") e Sérgio Sant’Anna ("Páginas sem Glória").

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas