Artistas usam redes sociais para divulgar explicações sobre biografias

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Integrantes do Procure Saber evitam confrontos diretos, preferindo repassar textos e mensagens de apoio

Artistas que integram o grupo Procure Saber, contrário à proposta de mudança no Código Civil que permitiria a publicação de biografias não autorizadas, têm evitado confrontos nas redes sociais e preferido usá-las para divulgar textos e mensagens de apoio sobre o assunto.

Saiba mais: Entenda a polêmica sobre biografias não autorizadas
Leia também: "Biografia é a principal pauta do Brasil"

Na manhã de quarta-feira (23), o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, indicou o adiamento da votação do requerimento de urgência que, se aprovado, iria acelerar a tramitação do projeto de lei. Até o meio da tarde, nenhum dos principais nomes do Procure Saber - entre eles Paula Lavigne, Caetano Veloso e Roberto Carlos - e nem a própria conta do grupo tinha publicado qualquer comentário no Twitter ou no Facebook.

Divulgação / GNT
Paula Lavigne durante participação no 'Saia Justa'

Na noite de terça (23), quando a Câmara anunciou a votação, Lavigne e Veloso divulgaram um longo texto publicado na página do Procure Sabe no Facebook, intitulado: "Entenda o que muda na legislação caso a PL 393/2011, de Newton Lima, seja aprovada amanhã".

Também foram divulgados pelos artistas, recentemente, um texto do Procure Saber com "esclarecimentos" sobre reportagem do jornal "Folha de S. Paulo"; um novo texto de Caetano em "O Globo"; e outro de Antônio Carlos de Almeida Machado, advogado de Roberto Carlos, na "Folha".

Na TV: Paula Lavigne faz “Saia-Justa” pegar fogo no GNT

Lavigne, que é porta-voz do Procure Saber, também tem se dedicado a "retwittar" mensagens de apoio recebidas de seus seguidores - principalmente depois de sua participação no programa "Saia-Justa", do canal GNT. 

Depois da exibição, o Procure Saber negou ou ignorou todos os pedidos do iG por entrevistas e participação nos programas da casa.

Durante a gravação, Lavigne fez menção à homossexualidade de uma das apresentadoras, Barbara Gancia, para argumentar contra a invasão de privacidade de pessoas públicas.

Entre as mensagens repassadas por Lavigne estão: "Paula Lavigne esqueceu de mencionar no Saia Justa o que a invasão de privacidade fez a Princesa Diana: MORTE"; "Salve! Salve! Parabéns por defender a democracia e o diálogo! – e a privacidade também"; e esta: "Bárbara Gancia deve ter tesão na Paula Lavigne. Só isso explica!"

Leia tudo sobre: biografias não autorizadasbiografiaslivros

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas