As 10 melhores declarações da Flip 2013

Por iG São Paulo , especial por Aline Viana |

compartilhe

Tamanho do texto

T.J. Clark: "O mundo está fascinado com a visão do Brasil se voltando contra o culto do futebol"; veja mais frases

Divulgação
Gilberto Gil em show na Flip 2013

Uma das melhores frases desta edição da Festa Literária Internacional de Paraty (de 3 a 7 de julho) foi dita pelo cantor e ex-ministro Gilberto Gil logo no show de abertura.

Leia mais:
Os pontos altos e baixos da Flip 2013
Eduardo Coutinho, Maria Bethânia e Dona Cléo estão entre os destaques

Nesta seleção, destacamos reflexões sobre as manifestações populares, reflexões sobre a arte do homenageado do ano, Graciliano Ramos, e outras sobre literatura mesmo. Confira abaixo.

“Se vivo fosse, Graciliano estaria apoiando de forma entusiástica às manifestações” - Dênis de Moraes, biógrafo do escritor alagoano.

“Assembleia! Estamos em assembleia. Qual é a queixa? Tem alguma queixa relevante, ou é como as manifestações, tudo difuso?” – Gilberto Gil, cantor e ex-ministro da Cultura.

“O mundo está fascinado com a visão do Brasil se voltando contra o culto do futebol. A igreja do futebol, o estádio, é que está sendo contestada. (…) Algo está acontecendo que nem o Pelé consegue desviar essa raiva” – T. J. Clark, historiador britânico.

“O que as pessoas querem é que o último mensaleiro petista seja enforcado nas tripas do último mensaleiro tucano” – Vladimir Satafle, filósofo.

“Quando me perguntam em entrevistas de onde vêm as minhas ideias, eu pergunto (ao interlocutor): de onde vêm os sonhos? Eu não sei. E prefiro viver nesse estado de sonho controlado” – John Banville, escritor irlandês cotado ao prêmio Nobel de literatura.

“Fumar ajuda a pensar. Fumar é um troço budista: tem que aceitar”, Eduardo Coutinho, cineasta.

“Graciliano procura o silêncio que valoriza a palavra” – Lourival Holanda, especialista em literatura.

“Niemeyer foi o melhor e o pior para a arquitetura no Brasil”, diz Paul Golberger, crítico de arquitetura.

“Não se faz amor debaixo de semiótica e sim de uma casa”, Eduardo Souto, arquiteto português.

“ ‘Guernica’ é o despertar de um transe” – T. J. Clark, historiador britânico

Leia tudo sobre: Flip 2013Flipdeclarações

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas