História em quadrinhos perde Keiji Nakazawa

Autor do clássico mangá "Gen Pés Descalços" tinha 73 anos e sofria de câncer do pulmão

Agência Estado |

Agência Estado

Reprodução
O cartunista japonês Keiji Nakazawa

O quadrinista japonês Keiji Nakazawa, autor do clássico mangá "Gen Pés Descalços", morreu no dia 19 deste mês, aos 73 anos, de câncer. O anúncio oficial da morte só foi feito nesta terça (25). A obra-chave do desenhista, "Gen", foi traduzida em mais de 20 idiomas e vendeu mais de 10 milhões de cópias. Influentíssima, a HQserviu de referência para muitos cartunistas americanos, como Art Spiegelman, por exemplo (que prefaciou um dos volumes de suas histórias). 

Siga o iG Cultura no Twitter

"Gen Pés Descalços" foi publicado no Brasil pela Editora Conrad, inicialmente. Nascido em Hiroshima, no Japão, Nakazawa tinha 6 anos em agosto de 1945, quando os norte-americanos jogaram de um avião B-29 a primeira bomba atômica sobre sua cidade, provocando a morte de 232 mil pessoas (entre as quais estavam seu pai, seu irmão e suas irmãs). Ele e sua mãe, que morreria 20 anos depois, foram contaminados. Viviam a 1,5 quilômetro do local da explosão.

Seu gibi é considerado um testemunho histórico de raro impacto sobre a irresponsabilidade e a desumanidade que é o uso de armas atômicas em guerras. A gravidade do tema não o impediu de tratá-lo com senso de humor. O personagem Gen (pronuncia-se Guën) Nakaoka é um alter ego de si mesmo, e foi criado após a morte de sua mãe, em 1966. "Quando o corpo dela foi cremado, não sobraram seus ossos. Geralmente, eles resistem à cremação, mas o césio tinha devorado seu esqueleto. O ódio ferveu dentro de mim." Assim nascia Gen (significa raízes, em japonês), e o primeiro trabalho, batizado de "Hadashi no Gen", foi originalmente publicado de forma seriada em 1972 e 1973 na "Shukan Shonen Jump", a revista semanal de maior circulação no Japão, com cerca de 2 milhões de leitores.

Reprodução
Imagem da HQ "Gen Pés Descalços"

Tornou-se o primeiro mangá, ou gibi, a ser encontrado habitualmente nas livrarias escolares no Japão, recomendado por professores e pedagogos.

Nakazawa já não desenhava desde 2009, por não enxergar mais, decorrência de problemas de catarata. Também recebia tratamento contra um câncer no pulmão desde 2010. No quarto e último volume da história, "O Recomeço", ele mostrava a penosa tarefa dos sobreviventes da bomba de Hiroshima em retomar suas vidas após a tragédia que se abatera sobre eles. Essa dificuldade acompanharia Nakazawa pelo resto da vida.

Dois filmes foram feitos a partir da série. "Gen Pés Descalços 2", de 1986, tinha uma perspectiva expressionista, muitas vezes. A queda da bomba era mostrada primeiro do ponto de vista americano, protocolar e impassível. Em seguida, quando a bomba explodia, já era vista do ponto de vista dos habitantes japoneses da ilha, que viam as pessoas sendo vaporizadas e os edifícios explodindo em múltiplas cores. "Não há Godzillas expostos à radiação ou supermutantes, somente realidades trágicas", definiu Art Spiegelman.

    Leia tudo sobre: Keiji Nakazawaquadrinhos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG