Para dissidente chinês, ganhador do Nobel de Literatura é "poeta de Estado"

Refugiado na Alemanha, escritor Liao Yiwu critica premiação do seu compatriota Mo Yan

AFP |

AFP

Getty Images
O escritor chinês Liao Yiwu em Berlim, 2011

O escritor dissidente chinês Liao Yiwu, refugiado na Alemanha, criticou severamente este sábado (13) a atribuição do prêmio Nobel de Literatura ao seu compatriota, Mo Yan , a quem considera um "poeta de Estado".

Siga o iG Cultura no Twitter

Mo Yan é "um poeta de Estado" que "se retira ao seu mundo habilitado quando é necessário", disse Liao Yiwu em uma entrevista ao semanário Der Spiegel.

Segundo Liao, seus amigos na China lhe perguntaram, após a atribuição do Nobel na última quinta (11), se o "Ocidente se vê como a prolongação do sistema chinês".

Mo Yan, de 57 anos, conquistou o Nobel de literatura de 2012 com uma obra que descreve com "realismo alucinatório" a agitada história do seu país e seu apego às paisagens da China oriental de sua infância, segundo o comitê Nobel.

O escritor foi criticado por outros colegas chineses por não apoiar os autores dissidentes.

Em 2011, Liao Yiwu recebeu o Prêmio da Paz das livrarias alemãs, uma das recompensas literárias mais importantes do país.

    Leia tudo sobre: Liao YiwuMo YanNobel de Literatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG