"Não tem nada ali", diz Paulo Coelho sobre "Ulysses", de James Joyce

Declaração feita pelo escritor brasileiro irrita crítico do jornal britânico The Guardian

iG São Paulo | - Atualizada às

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo publicada na segunda-feira (6), o escritor Paulo Coelho criticou "Ulysses", de James Joyce, tido como um dos livros mais importantes do século 20. De acordo com ele, a obra é culpada por fazer com que escritores tentem "impressionar seus pares".

Siga o iG Cultura no Twitter

"Um dos livros que fez esse mal à humanidade foi 'Ulysses', que é só estilo. Não tem nada ali. Se você disseca 'Ulysses', dá um tuíte", disse o autor, que acaba de lançar seu 22º trabalho, "Manuscrito Encontrado em Accra" .

Respostas a frase de Paulo Coelho começaram a surgir após a sua publicação em jornais estrangeiros. Nesta quarta (8), o crítico Stuart Kelly, do britânico The Guardian, abriu sua matéria parafraseando o escritor inglês Samuel Johnson: "Uma mosca pode picar um cavalo, mas o cavalo continua a ser um cavalo e a mosca não mais que uma mosca".

O que você achou da declaração de Paulo Coelho? Comente

Kelly diz que o real insulto é ser obrigado a ceder as "limitações artísticas" do autor brasileiro, e ainda firma que apenas quem leu "Ulysses" de forma superficial pode dizer que ele é só estilo.

A resposta de Paulo Coelho foi publicada em seu Twitter , onde o autor tem mais de 15 milhões de seguidores. "Guardian diz que insultei leitores de Ulysses. E meus leitores, insultados todos estes anos?".

Autor de "O Alquimista", Paulo Coelho já vendeu 140 milhões de livros em 168 países e 73 idiomas, o que faz dele um dos escritores mais bem-sucedidos comercialmente no mundo.

    Leia tudo sobre: Paulo CoelhoJames JoyceUlyssesliteratura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG