Escritora vai ficar seminua na av. Paulista para protestar contra pirataria

Vanessa de Oliveira já fez manifestação semelhante no Peru; leia entrevista ao iG

Guss de Lucca - iG São Paulo | - Atualizada às

A escritora Vanessa de Oliveira, autora da biografia "O Diário de Marise – A Vida Real de uma Garota de Programa", marcou para as 15h30 de domingo (12), em São Paulo, seu primeiro protesto contra a pirataria em solo brasileiro. Nele, Vanessa repetirá o ato que fez em 19 de julho em frente ao palácio do governo de Lima, no Peru, quando ficou seminua.

"Viver apenas como escritora é difícil. No Brasil só ganho 10% do valor de capa de cada livro. Os direitos autorais vendidos para o exterior é que ajudam. Por isso me irritei quando descobri que meus livros eram pirateados no Peru", disse a autora ao iG .

Convidada para participar da Feira Internacional do Livro de Lima, Vanessa conta que assim que chegou no país adquiriu na rua um exemplar do livro "100 Segredos de uma Garota de Programa". Ao mostrar para o seu editor, foi avisada: tratava-se de uma cópia pirata.

Reprodução/Jornal El Comercio
Vanessa de Oliveira durante o protesto em frente ao palácio do governo do Peru

Siga o iG Cultura no Twitter

"A capa era muito parecida, mas por dentro era tudo malfeito, com cópias tortas e páginas faltando. Chega a ser hilário. ‘O Código da Vinci’, do Dan Brown, custava 10 Novos Sois (R$ 7,74) na versão pirata e 30 (R$ 23) na livraria", explica.

A ideia de aparecer seminua em frente ao palácio do governo surgiu, segundo Vanessa, durante a abertura solene da feira de livros. "Não posso dizer que foi tranquilo. Eu tinha certeza que seria presa. Quando vi que não, me deu um alívio, apesar de toda a raiva e adrenalina. Um dos guardas até me disse que, por ele, me deixava o dia todo ali", conta.

Questionada sobre a posição do escritor Paulo Coelho, que defendeu publicamente o download pirata de seus livros , Vanessa acredita que isso pode aumentar a fama de um autor, mas não sua remuneração. "É claro que o Paulo Coelho pode se dar ao luxo de ser pirateado. Se ele vende 5 milhões e pirateiam 10, ele continua ganhando muito dinheiro. Mas para quem está começando o trabalho, acaba perdendo. Eu não vou pagar as minhas contas com o aplauso das pessoas".

Além do segundo protesto contra a pirataria de livros, que acontece no domingo em frente à livraria Martins Fontes (av. Paulista, 509, São Paulo), às 15h30, Vanessa deve retornar ao Peru em breve. "O pessoal quer que eu volte, mas nesta semana não teria como. Meu editor está negociando para me colocar na feira de Guadalajara, no México. Se agendarem, eu irei e farei um protesto".

    Leia tudo sobre: Vanessa de Oliveirapiratariaprotestotopless

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG