"Cinquenta Tons de Cinza" é o romance britânico mais vendido da história

Romance já tem 5,3 milhões de cópias comercializadas no Reino Unido e 20 milhões em todo o mundo

EFE |

EFE

O livro "Cinquenta Tons de Cinza" ("Fifty Shades of Grey"), da autora E.L.James, se tornou o romance britânico mais vendido de todos os tempos, com 5,3 milhões de cópias comercializadas no Reino Unido e quase 20 milhões no mundo todo.

A informação foi divulgada nesta terça-feira (dia 7) pela editora Cornerstone Publishing.

O romance de E.L.James inicia uma trilogia de erotismo que já se transformou em um verdadeiro fenômeno literário mundial e que algumas editoras classificam como "pornô para mamães".

Siga o iG Cultura no Twitter

Segundo a editora Cornerstone Publishing, que faz parte da Random House, os outros dois livros da saga, "Cinquenta Tons Mais Escuros" e "Cinquenta Tons de Liberdade", já venderam 3,6 milhões e 3,2 milhões de cópias, respectivamente.

Leia também: "Cinquenta Tons de Cinza" rende US$ 1 milhão por semana para a autora

No mundo todo, a trilogia de E.L. James já vendeu cerca de 40 milhões de livros - ainda muito atrás dos 450 milhões da série do bruxo Harry Potter.

A diretora-gerente da Cornerstone Publishing, Susan Sandom, admitiu que o fenômeno "Cinquenta Tons" é "uma das experiências mais extraordinárias" de sua carreira editorial. "A velocidade e o número de vendas são incríveis, e os papéis que os livros desempenharam em tantas pessoas que trabalham na indústria são, simplesmente, impressionantes", afirmou Susan.

Conheça - De inspiração em "Crepúsculo" a Hollywood: o fenômeno "Cinquenta Tons de Cinza"

Editado no Brasil pela Intrínseca - que em setembro deverá lançar "Cinquenta Tons Mais Escuros" -, o livro já foi traduzido para vários idiomas, entre eles chinês, russo, sérvio e vietnamita.

O argumento do romance gira em torno da relação entre o jovem e bem-sucedido empresário Christian Grey e Anastasia Steele, uma estudante de literatura. Apesar do enorme sucesso do best-seller, E.L.James admitiu que quando assinou o contrato com a editora Random House sua principal ambição era, simplesmente, ver seus livros nas lojas e que não tinha ideia que seu romance se transformaria em um fenômeno de vendas mundial.

    Leia tudo sobre: cinquenta tons de cinzael jameslivroliteratura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG