"Cinquenta Tons de Cinza" rende US$ 1 milhão por semana para a autora

"Pornô para mamães" de E.L. James bate recordes de vendas nas livrarias e lojas digitais

iG São Paulo | - Atualizada às

A escritora britânica E.L. James, autora do romance erótico "Cinquenta Tons de Cinza", teve sua renda semanal estimada em US$ 1.35 milhão (R$ 2.8 milhões) pelo site Celebritynetworth.com.

De acordo com a matéria, em 27 de junho a trilogia havia vendido 20 milhões de cópias pelo mundo, quatro milhões a mais do que os 16 computados no mês anterior. Isso significo que a autora vende aproximados 1 milhão de exemplares por semana.

Como os ganhos estimados de James são de 7% por unidade vendida em livrarias, ao valor de US$ 14 (R$ 29), e 25% pelas edições digitais, comercializadas a US$ 10 (R$ 20,90), o total de ganhos da autora em junho seria de US$ 5.4 milhões (R$ 11.2 milhões) - ou US$ 1.35 milhão por semana.

Nesta quinta (28) "Cinquenta Tons de Cinza" quebrou o recorde de vendas de livros de bolso na Grã-Bretanha , tornando-se a primeira obra a atingir mais rapidamente a marca de 1 milhão de cópias vendidas.

Divulgação
Capa de "Cinquenta Tons de Cinza"

Primeira da trilogia de James, o livro levou apenas 11 semanas para alcançar o marco, 25 mais rápido que o detentor do recorde anterior, "O Código Da Vinci", de Dan Brown, de acordo com dados da empresa de rastreamento Nielsen BookScan.

Siga o iG Cultura no Twitter

Antes disso, o livro já havia se tornado o primeiro a vender 1 milhão de cópias no Kindle, leitor digital da Amazon.

Criado originalmente como uma "fan fiction" de "Crepúsculo" , "Cinquenta Tons de Cinza" conta a história da relação sadomasoquista entre a estudante de literatura ingênua Anastasia Steele e o empresário manipulador Christian Grey.

Publicada pela primeira vez em 2011, a obra marca a estreia de James na literatura. Por causa do sucesso com o público feminino, majoritariamente formado por mulheres casadas com mais de 30 anos, a obra foi classificada nos EUA como "pornô para mamães".

No Brasil, a primeira parte da trilogia chega em 1º de agosto pela editora Intrínseca, que teria pago R$ 1,6 milhão para incluir os livros em seu catálogo.

Leia também: "Cinquenta Tons de Cinza" transforma literatura erótica em best-seller

Como ocorre normalmente com sucessos editoriais , "Cinquenta Tons de Cinza" vai ganhar uma adaptação cinematográfica. Os direitos de filmagem da trilogia foram comprados pela Universal e Focus Features.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG