Brincadeira com personagens da Disney provoca perseguição a magnata egípcio da telecomunicação

Imagem postada na conta do Twitter do empresário Naguib Sawiris
Reprodução
Imagem postada na conta do Twitter do empresário Naguib Sawiris
Por ter postado em sua conta no Twitter uma imagem de Mickey e Minnie vestindo roupas tradicionais islâmicas, o magnata das telecomunicações egípcio Naguib Sawiris enfrenta uma tempestade de protestos na internet e na justiça.

Vários advogados apresentaram queixas por "insulto ao Islã" contra o empresário, enquanto foram feitos apelos nas redes sociais Facebook e Twitter para que as pessoas boicotem a companhia de telefonia móvel, Mobinil, que pertence ao empresário.

Sawiris é um cristão que já manifesta ambições políticas depois da queda do presidente Hosni Mubarak. Na imagem que o empresário colocou na web, Mickey aparece vestido com roupas árabes e ostentando uma longa barba, ao lado de Minnie, que veste um niqab, véu que cobre todo o corpo.

O magnata voltou atrás depois no Twitter: "Peço desculpas a todas as pessoas que não consideraram isso uma brincadeira. Achei apenas que fosse uma imagem engraçada, sem ser desrespeitoso! Assef (lamento)!", escreveu Sawiris, que apagou a foto pouco depois.

Algumas pessoas consideram que a história simplesmente "fugiu do controle", mas outras não aceitaram as desculpas de Naguib Sawiris. "Há uma diferença entre expressar sua opinião/liberdade de expressão e faltar com o respeito", escreveu uma internauta no Twitter.

O Egito enfrenta uma retomada das tensões entre muçulmanos e a minoria cristã. A imagem dos dois personagens de Walt Disney vestidos como islâmicos começou a circular há algumas semanas em uma mensagem de e-mail que se espalhou rapidamente, com a menção "este é o futuro do Egito", refletindo os temores frente ao avanço crescente de grupos islamitas depois da revolta popular que derrubou Mubarak no início do ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.