Guilherme Fontes é condenado por sonegação

Processo contra o ator ainda se refere à cinebiografia do jornalista Assis Chateaubriand

Agência Estado |

O ator e diretor Guilherme Fontes foi condenado em 8 de abril a pouco mais de três anos de prisão por sonegação fiscal, pela juíza Denise Paes, da 19ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio. A pena, no entanto, foi transformada em prestação de serviços comunitários por sete horas semanais durante um ano e mais o pagamento de R$ 12 mil em cestas básicas. A defesa do ator já entrou com recurso, que será avaliado na 4ª Câmara Criminal do TJ.

O processo, que corre desde junho, refere-se ao período em que o ator captou recursos para filmar Chatô - o Rei do Brasil , em meados dos anos 90. Segundo a sentença, ele deixou de pagar mais de R$ 250 mil em ISS ao Rio, onde funcionava sua empresa.

A sede da empresa oficialmente era Guarema (SP), onde o imposto teria sido recolhido durante um tempo. Até o fim da noite de ontem o Estado não havia conseguido falar com o ator, nem com seus advogados. Desde o início do processo, há dois anos, ele nega o crime.

    Leia tudo sobre: Guilherme Fontes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG