Exposição na Alemanha une renas e cogumelos alucinógenos

Visitantes tem que pagar mil euros para passar a noite no museu

iG São Paulo |

David von Becker / Divulgação
Renas, camundongos e aves convivem na instalação de artista belga
Uma exposição - ou experiência, chame como quiser - bem inusitada está acontecendo em Berlin, na Alemanha. A instalação do artista belga Carsten Höller's consiste em passar uma noite com 12 renas, oito camundongos, 24 canários, duas moscas e cogumelos alucionógenos. A proposta é um exercício de observação, sem que o uso das drogas seja obrigatório.

Os cogumelos em questão fazem parte da alimentação natural das renas na Sibéria. Com o consumo, a urina dos animais vira alucionógena - algumas pessoas acreditam que esta seja a origem da lenda de que o trenó do Papai Noel é puxado por renas voadoras. Na instalação de Höller's, metade das renas é alimentada com os cogumelos e a urina de todas é coletada e deixada em um refrigerador à disposição dos visitantes que passarem a noite no local, junto com os cogumelos. Mas, como nem todas as renas comeram o cogumelos, é impossível saber quais garrafas tem a urina alucinógena. A experiência custa mil euros por noite.

Além de ficar disponível para o consumo, a urina coletada também é jogada na comida dos outros animais presentes na instalação. Os visitantes então passam a noite observado as reações dos bichos ao líquido. "O experimento é completado na mente das pessoas, não é nada científico", teoriza o artista, em entrevista ao jornal inglês The Guardian. Como estão sugestionados a crer que os animais ingeriram os cogumelos, os visitantes mudam seu ponto de vista. O artista confessa que não bebeu a urina, mas que comeu os cogumelos. "Não é uma experiência agradável. Quando você acorda, vomita e não tem a mínima noção de onde está e quanto tempo ficou fora de si."

Um dos objetivos da exposição é testar se a arte pode mudar a percepção mais do que o uso de drogas. Parece ter funcionado. Florian Wojnar, um amigo de Höller's que passou a noite no local com seu filho de 11 anos, relatou que um estranho fato aconteceu. Durante a noite, havia sete renas em um lado e cinco do outro. Pela manhã, eram seis renas em cada. "Não vi nenhuma se mover", garantiu.

O nome da exposição, Soma, vem de uma bebida sagrada da religião Vedic, que tem 5 mil anos. O livro sagrado da religião, Rigveda, possui 114 hinos a um suco que concede a imortalidade. Apesar de a receita ter sido perdida, o pesquisador Robert Wasson criou, nos anos 60, a teoria de que a bebida milagrosa seria baseada nos mesmos cogumelos que as renas comem.

    Leia tudo sobre: renassomaexposiçãoartes plásticas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG