Europol afirma que ETA mudou estratégias para esconder explosivos

Bruxelas, 28 abr (EFE).- O Serviço Europeu de Polícia (Europol) revelou hoje que o grupo terrorista ETA variou no último ano seus métodos para esconder explosivos, por causa do impacto das operações policiais em suas atividades.

EFE |

Bruxelas, 28 abr (EFE).- O Serviço Europeu de Polícia (Europol) revelou hoje que o grupo terrorista ETA variou no último ano seus métodos para esconder explosivos, por causa do impacto das operações policiais em suas atividades. Essa é uma das principais conclusões da Europol em seu relatório sobre a atividade terrorista na União Europeia (UE) durante 2009, que aponta que os 27 países-membros do bloco "continuam expostos a uma séria ameaça terrorista" de caráter geral. Segundo o estudo, as operações antiterroristas realizadas na França, com a descoberta de um total de 14 esconderijos de explosivos, mostram que a ETA variou seu modus operandi e prefere esconder suas bombas em pontos diferentes de florestas em vez de em um só local. O motivo desta mudança de estratégia seria, precisamente, o impacto das operações policiais, que teriam representando um "duro golpe" para o aparelho logístico e militar da ETA. Durante 2009, quase uma tonelada de material para fabricar bombas foi descoberto pela Polícia. A agência europeia também destaca que a principal fonte de renda da ETA "continua sendo a extorsão". "Para intensificar a ameaça, cartas foram enviadas em alguns casos a parentes e amigos" de empresários, destaca a Europol. Em termos globais, levando em conta todas as formas de terrorismo, houve uma redução de 33% da atividade. Sobre isso, o diretor do Europol, Rob Wainwright, disse que "enquanto caiu na Europa o número de atentados, o terrorismo continua sendo uma ameaça à segurança dos cidadãos. Apesar desta tendência, não se deve baixar a guarda na luta contra o terror". EFE lmi/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG